Apoie Nossa Causa

Conheça histórias de jovens protagonistas que participaram de projetos apoiados pela Fundação Odebrecht ao longo dos seus mais de 50 anos.
Daniela Guedes
Daniela Guedes
Me orgulho em viver na zona rural e ser agricultora

O maior orgulho de Daniela Guedes, 19 anos, é ser agricultora e viver no campo ao lado de sua família. Moradora da comunidade de Gendiba, localizada no município de Presidente Tancredo Neves (BA), ela acaba de finalizar o curso técnico em agropecuária e, junto com seus pais e irmãos, cultiva mandioca, banana e cacau.

Daniela conta que sua vida se transformou desde que ingressou na Casa Familiar Rural de Presidente Tancredo Neves (CFR-PTN). A instituição está ligada ao Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade do Mosaico de Áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia (PDCIS), fomentado pela Fundação Odebrecht e parceiros públicos e privados.

O objetivo é oferecer educação profissional de qualidade a jovens, estimulando a permanência no campo e na agricultura familiar como empresários rurais e cooperados. “Eu não tinha perspectivas para o futuro, mas tudo começou a mudar quando fui aprovada no processo seletivo”. Daniela conta que sua intenção era adquirir novos aprendizados e colaborar com o desenvolvimento de sua família. “Sempre vi meus pais trabalhando muito e tendo pouco retorno, por isso me sentia desestimulada. A CFR-PTN mudou minha visão e me fez perceber a importância e o potencial da agricultura”. Todas as técnicas de plantio e cultivo que ela aprendeu na instituição de ensino foram repassadas em sua casa e, com isso, seus pais começaram a produzir mais gastando menos.

A jovem foi a maior incentivadora da mãe, dona Valdelice Maria de Jesus, que se associou à Cooperativa de Produtores Rurais de Presidente Tancredo Neves (Coopatan), e tem conseguido produzir melhor, alcançando grandes resultados. “Nossa renda mensal era de pouco mais de um salário mínimo e, atualmente chega a R$ 2.500”, conta Valdelice.

As conquistas despertaram em Daniela o sonho de adquirir a própria terra. “Me orgulho em viver na zona rural e quero continuar trabalhando com e para a minha família”, diz.

Toda família está juntando parte da renda para aquisição de uma propriedade. “O trabalho tem a capacidade de mudar a história de todos e é ele que tem contribuído com nosso crescimento”, finaliza Valdelice.

Conheça a história de outros jovens apoiados

O maior orgulho de Daniela Guedes, 19 anos, é ser agricultora e viver no campo ao lado de sua família. Moradora da comunidade de Gendiba, localizada no município de Presidente Tancredo Neves (BA), ela acaba de finalizar o curso técnico em agropecuária e, junto com seus pais e irmãos, cultiva mandioca, banana e cacau.

Daniela conta que sua vida se transformou desde que ingressou na Casa Familiar Rural de Presidente Tancredo Neves (CFR-PTN). A instituição está ligada ao Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade do Mosaico de Áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia (PDCIS), fomentado pela Fundação Odebrecht e parceiros públicos e privados.

O objetivo é oferecer educação profissional de qualidade a jovens, estimulando a permanência no campo e na agricultura familiar como empresários rurais e cooperados. “Eu não tinha perspectivas para o futuro, mas tudo começou a mudar quando fui aprovada no processo seletivo”. Daniela conta que sua intenção era adquirir novos aprendizados e colaborar com o desenvolvimento de sua família. “Sempre vi meus pais trabalhando muito e tendo pouco retorno, por isso me sentia desestimulada. A CFR-PTN mudou minha visão e me fez perceber a importância e o potencial da agricultura”. Todas as técnicas de plantio e cultivo que ela aprendeu na instituição de ensino foram repassadas em sua casa e, com isso, seus pais começaram a produzir mais gastando menos.

A jovem foi a maior incentivadora da mãe, dona Valdelice Maria de Jesus, que se associou à Cooperativa de Produtores Rurais de Presidente Tancredo Neves (Coopatan), e tem conseguido produzir melhor, alcançando grandes resultados. “Nossa renda mensal era de pouco mais de um salário mínimo e, atualmente chega a R$ 2.500”, conta Valdelice.

As conquistas despertaram em Daniela o sonho de adquirir a própria terra. “Me orgulho em viver na zona rural e quero continuar trabalhando com e para a minha família”, diz.

Toda família está juntando parte da renda para aquisição de uma propriedade. “O trabalho tem a capacidade de mudar a história de todos e é ele que tem contribuído com nosso crescimento”, finaliza Valdelice.

Pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2014, revelou que 98,7% dos municípios do país contam com ações ou programas que fortalecem a produção dos agricultores familiares. São iniciativas como o Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade – PDCIS, da Fundação Odebrecht. Com atuação concentrada em 11 municípios com baixos Índices de Desenvolvimento Humano, o Programa PDCIS tem o desafio de tornar a região próspera, de forma socioeconômica e ambientalmente sustentável, fixando os jovens na zona rural, integrados a suas famílias.

Roseane Conceição, 17 anos, filha de Ramiro Conceição e Railda dos Santos, está no terceiro ano de formação da Casa Familiar Rural de Presidente Tancredo Neves (CFR-PTN), instituição que integra o Programa PDCIS, e sonha em tornar-se uma empresária rural. “Há dois anos, se me perguntassem o que queria para o futuro, não saberia responder. Hoje, tenho tudo certo na minha cabeça: continuar na roça com minha família e investir cada vez mais para aumentar nossos cultivos e renda”, conta.

Na propriedade, localizada na comunidade Riachão do Chorão, município de Presidente Tancredo Neves (BA), eles possuem áreas de banana, mandioca e aipim, com produção escoada para beneficiamento e comercialização a partir da Cooperativa de Produtores Rurais de Presidente Tancredo Neves, por meio da cooperação de Ramiro. Roseane também coloca em prática os conhecimentos sobre as técnicas do campo e garante uma renda extra com um projeto produtivo. O projeto, apoiado pelo Programa Tributo ao Futuro, da Fundação Odebrecht, consiste no plantio de culturas diversas, que permitem a obtenção de renda e o reinvestimento em novos ciclos produtivos. “Com o lucro, quero ampliar minha área e continuar investindo”, afirma a jovem.

Para o pai, a relação com a filha ficou mais próxima depois de sua ida à Casa Familiar Rural. “Conversamos muito sobre as novidades do campo e das técnicas agrícolas que ela aprende. É um ensinamento para toda a família e também para a nossa comunidade”, afirmou. Do exemplo de Roseane, as irmãs mais novas também sonham em estudar na instituição de ensino quando atingirem a idade certa. Elas querem seguir uma referência evidenciada pelas palavras da jovem quando fala da CFR-PTN: “Valores, aprendemos desde criança. Mas na Casa Familiar, isso é reforçado. Vou levar para sempre o espírito de servir, que nos faz pensar sempre em conjunto, no outro”, finaliza.

Anailton Santana dos Santos, 21 anos, começou a escrever um novo capítulo da sua história em 2013, quando ingressou na Casa Familiar Agroflorestal (Cfaf). Hoje Técnico em Florestal pela instituição, o morador da comunidade da Escadinha, Taperoá (BA), tornou-se cooperado da Cooperativa de Produtores Rurais de Presidente Tancredo Neves (Coopatan) e passou a fazer parte da associação da sua comunidade. “Passo pouco da minha experiência sobre associativismo para os agricultores e realizo ações, junto com os mesmos, para o desenvolvimento sustentável na nossa região”, afirmou.

Com o apoio da Casa Familiar, ele adquiriu novos conhecimentos e aprendizados que o tornaram um Jovem Empresário Rural. “Tenho 2,3 hectares de banana tipo terra e minha meta é chegar aos 5 hectares até fevereiro de 2017, além de um apiário com 15 caixas de abelhas visando a comercialização do mel e de pólen. Com isso, pretendo ainda fortalecer a cadeia através da criação de uma associação de apicultores do Baixo Sul da Bahia, para consolidar essa atividade na região”, diz, animado.

Diante de todas essas conquistas, ele se considera um jovem protagonista que se destaca de maneira positiva na atividade agrícola. “Tenho visão de futuro e, através do espírito de servir, busco sempre o desenvolvimento coletivo. Compartilho os conhecimentos como Técnico em Florestas para ajudar no desenvolvimento da região, sempre buscando fazer a diferença em minha comunidade’, completa. Cfaf e Coopatan fazem parte do Programa PDCIS, da Fundação Odebrecht.

Newsletter
Receba nossas novidades
Basta informar seu nome e melhor e-mail.
preload
2018 - 2020. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital