Apoie Nossa Causa

Conheça histórias de jovens protagonistas que participaram de projetos apoiados pela Fundação Odebrecht ao longo dos seus mais de 50 anos.
Michele Soares
Michele Soares
Educação pela arte

Em 1995, a Fundação Odebrecht, em parceria com o Centro de Referência Integral do Adolescente (CRIA) do Rio de Janeiro, apoiou a formação do grupo de teatro Os 13 Camaleões para apresentação da peça teatral “O Que Você Acha Disso Tudo?”, sobre adolescência, família e sexualidade. O grupo, formado por adolescentes cariocas, exibia seu trabalho para alunos e educadores de ONGs e escolas públicas municipais do Rio de Janeiro.

Michele Soares, hoje com 29 anos, participou do grupo e atuou na peça. “Além de fazer o que eu mais gostava, contracenar, eu podia levar a cultura e informação para muito jovens“, relembra. Acompanhe na íntegra seu depoimento:

“Quando adolescente, tive a oportunidade de conhecer e participar do projeto “O Que Você Acha Disso Tudo?”. O tema abordado estava relacionado à educação sexual. Trabalhávamos questões sobre doenças sexualmente transmissíveis e gravidez na adolescência, com o apoio e orientação do Centro de Educação Sexual (Cedus), Prefeitura do Rio de Janeiro e da Fundação Odebrecht. Nossas apresentações eram realizadas em escolas públicas e conversávamos sobre assuntos que ainda eram tabus na sociedade.

No “Os treze Camaleões”, além de fazer o que eu mais gostava, contracenar, eu podia levar cultura e informação para muito jovens, de idades entre 13 e 18 anos, que procuravam esse tipo de orientação e não tinham acesso. Foi uma experiência que fez me sentir muito importante. Contribuir com a formação desses adolescentes me realizou como pessoa. Essa é uma das melhores lembranças da minha vida.

Vivi muitos bons momentos dos quais jamais esquecerei, das pessoas que pude conhecer e dos projetos que pude participar. Infelizmente, a vida não permitiu que eu seguisse o teatro e tive que buscar outros caminhos. Atualmente, estou cursando uma faculdade e me dedicando à área de saúde”. 

Conheça a história de outros jovens apoiados

Elvis da Luz Souza, 19 anos, e o pai, Paulo Pinheiro de Souza, não escondem que a vida está tomando um rumo repleto de esperança e de realizações com a agricultura. O jovem, formado no curso Técnico em Florestas da Casa Familiar Agroflorestal (Cfaf) e associado à Cooperativa de Produtores Rurais de Presidente Tancredo Neves (Coopatan), implantou, em 2014, seu projeto produtivo de um hectare da banana-da-terra (o equivalente a 1.000 pés da fruta) com o apoio dos monitores da instituição de ensino, na elaboração do projeto, e de insumos, como adubo e mudas, via Tributo ao Futuro, programa da Fundação Odebrecht.

No final do ano passado, o jovem empresário rural finalizou a produção e escoou cerca de 25.000 kg de banana-da-terra à Coopatan. Segundo Elvis, o resultado da sua primeira safra seguiu as suas expectativas. “Consegui entregá-la conforme o plano de ação que pactuei com a cooperativa. Com a renda, já estou começando a investir em outras áreas”, explica. Sobre o apoio do Tributo ao Futuro, ele ressalta que foi fundamental para que conseguisse tornar a plantação realidade. “Seria impossível implantarmos o projeto pois só tínhamos a mão de obra familiar e a área disponível, nos faltava os insumos”, ressalta Elvis.

Além do auxílio dos pais, agricultores familiares, Elvis conta com o apoio dos irmãos Everlane e Elton. Ambos seguiram seu exemplo e já estão no segundo dos três anos de ensino da Cfaf. A família é um modelo na comunidade de Paulista, município de Nilo Peçanha (BA). “É muito bom saber que somos exemplo e que estamos contribuindo para o desenvolvimento da nossa região”, diz. Segundo o jovem, vizinhos fazem visitas em seu plantio para perguntar sobre adubação e tratos culturais da banana-da-terra. “É gratificante, pois eu posso repassar minhas experiências de plantio e as técnicas que venho absorvendo até hoje através do conhecimento que aprendi na Casa Familiar Agroflorestal”, conta orgulhoso.

Cfaf e Coopatan fazem parte do Pacto de Governança da Fundação Odebrecht através do PDCIS – Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrando com Sustentabilidade. A cooperativa atua em dois focos: desenvolvimento da tecnologia de produção e sua organização com posterior beneficiamento, visando agregação de valor e maior renda aos associados.

Newsletter
Receba nossas novidades
Basta informar seu nome e melhor e-mail.
preload
2018 - 2021. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital