Apoie Nossa Causa

Conheça histórias de jovens protagonistas que participaram de projetos apoiados pela Fundação Odebrecht ao longo dos seus mais de 50 anos.
Matheus Santos
Matheus Santos
Meu sonho é ter uma propriedade rural com uma boa renda na agricultura

Os livros e cadernos de Matheus Santos, 15, estavam repletos de anotações e atividades da semana. O adolescente, que sempre gostou de estudar, conta que vem fazendo grandes planos para seu futuro. Sentado em um banco de madeira no fundo da casa onde mora com os pais e o irmão, em Presidente Tancredo Neves, no Baixo Sul da Bahia, ele explica que a família sempre viveu do campo. “Meu sonho é ter uma propriedade rural com uma boa renda na agricultura”.

Com a família, Matheus planta banana, cacau, guaraná e cravo. A mãe do jovem, Antonia de Jesus, diz que o filho agora é uma referência. “Ele adquire os conhecimentos na escola e traz para a família e para a comunidade. Isso se torna uma ótima experiência”.

O desejo de ajudar perpassa os planos de Matheus para o futuro. “Quando me formar em Técnico em Pecuária, quero fazer uma fábrica de polpa”, revela. “Isso vai ajudar a todos, pois vou poder incentivar outros produtores não ficarem apenas no plantio de cacau, mas poder buscar outras culturas”, exemplifica, afirmando que esse será seu foco enquanto empreendedor do campo.
 

Conheça a história de outros jovens apoiados

Muitos foram os programas apoiados pela Fundação Odebrecht que Emanuel Ribeiro Filho participou. Mas muitos são os que ele ainda está envolvido. Determinado, ativo e batalhador, Emanuel está morando em Salvador para cursar Psicologia, realizando assim um grande sonho. “Pretendo retornar o mais rápido ao Baixo Sul para poder contribuir de maneira ainda mais efetiva com a região”, afirma. Conheça sua história:

“Iniciei minha participação nos projetos da Fundação Odebrecht, através do Programa Aliança com o Adolescente pelo Desenvolvimento Sustentável no Nordeste, em 2002, então com 15 anos. Por ser presidente do grêmio estudantil da minha escola, fui convidado para participar da Inclusão Qualificada que selecionaria jovens para participarem do Programa de Formação de Adolescentes Protagonistas (PFAP).

Após alguns meses de formação, fui convidado para estagiar na Área de Protagonismo Juvenil do Instituto de Desenvolvimento Sustentável do Baixo Sul (Ides), onde atuei durante todo o ano de 2003, tanto na Área Pedagógica quanto na Área Administrativo-Financeira. Além do PFAP, participei também do Programa Jovem Empreendedor (PJE).

Em 2005, mudei-me para Salvador, pois sempre tive o sonho de cursar Psicologia e, no Baixo Sul da Bahia, este curso não é oferecido. Estou no 7º semestre e conto com a colaboração do Programa de Bolsas Estudantis do Ides/Kellogg, que contribui com parte das minhas despesas acadêmicas.

Iniciei um estágio na própria Fundação Odebrecht, na Área de Protagonismo Juvenil, apoiando a sistematização das ações de alguns projetos. Participo também do Programa de Jovens Talentos Protagonistas, uma ação conjunta da Fundação Odebrecht e do Ides.

Nessa caminhada, amadureci bastante. Toda a formação que recebi contribuiu e continua contribuindo para minha visão de mundo. Aprendi a identificar minhas potencialidades e fraquezas e, acima de tudo, a ter um olhar critico sobre tudo que me cerca. Sou um jovem consciente do que preciso fazer para dar minha parcela de contribuição para o desenvolvimento da sociedade.

Após concluir minha graduação, pretendo retornar o mais rápido possível ao Baixo Sul para poder contribuir de maneira ainda mais efetiva com o desenvolvimento da nossa região”.

Aleelba de Melo tinha apenas 17 anos quando ingressou, em 2010, no projeto Trilhando Caminhos. Moradora da zona rural do município de Presidente Tancredo Neves (BA), a jovem, hoje com 23 anos, aprendeu a superar a timidez e viu que poderia fazer a diferença em sua região. Tornou-se, segundo ela, uma agente da transformação.

“Não via perspectivas aqui e pensava em ir para a cidade após concluir o segundo grau. Mal sabia que poderia ficar e crescer junto com minha comunidade”, afirmou Aleelba. No Trilhando Caminhos, executado pelo Instituto Direito e Cidadania (IDC), que integra o Programa PDCIS, da Fundação Odebrecht, a jovem encontrou ferramentas para exercer um papel de liderança e de responsabilidade social. Passou, desde então, a participar de ações sociais desenvolvidas em seu município. “Conheci o Protagonismo Juvenil e o poder de mudança que o jovem tem”, disse.

Foi também por meio do projeto que ela encontrou sua vocação profissional: a Pedagogia. “Acredito que essas experiências tenham despertado em mim o interesse pela área de humanas”, disse. Atualmente, Aleelba cursa o quinto semestre do curso superior e, após convite do IDC, passou a fazer parte da equipe técnica do Trilhando Caminhos, contribuindo com a formação de adolescentes por meio das oficinas socioeducativas. “Já estive dos dois lados e me orgulho em ser exemplo”, ressaltou.

Quando questionada sobre o que deseja para o futuro, Aleelba é enfática: “Terminar a faculdade, fazer especializações e continuar atuando na área social, tornando-me referência na capacitação de adolescentes e jovens da minha cidade”.

Sobre o Trilhando Caminhos
Apoiado pelo Programa Tributo ao Futuro, da Fundação Odebrecht, o projeto estimula o Protagonismo Juvenil - filosofia que retira o jovem da posição de beneficiário passivo para colocá-lo como ator principal da transformação de sua própria realidade - e oportuniza que adolescentes aprendam temáticas sociais e desenvolvam habilidades de liderança. Em 2015, 40 jovens concluíram o curso.

Quando entrou na Casa Familiar Agroflorestal (Cfaf), em 2013, Patrícia Nascimento dos Santos, 17 anos, já pressentia que poderia transformar não só a própria realidade, mas a de pessoas da sua região em Nilo Peçanha, no Baixo Sul da Bahia. “Desde o momento em que ingressei na Cfaf fui me tornando cada vez mais consciente do meu papel enquanto cidadã”, diz.

No seu primeiro ano de formação na instituição, que faz parte do Pacto de Governança do Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade (PDCIS), da Fundação Odebrecht, ela e sete colegas idealizarem o Projeto Protagonismo Juvenil – PPJ. A iniciativa promove a conscientização ambiental por meio de palestras, seminários e reflorestamento de áreas degradadas de forma voluntária.

Com o apoio de parceiros, como a Prefeitura local e uma emissora de rádio, o grupo já realizou, em três anos, a limpeza de rios e envolveu milhares de pessoas em prol das ações de conscientização e conservação do meio ambiente. “Queremos contribuir com a nossa região e poder disseminar os conhecimentos adquiridos na Cfaf. A Instituição é para mim uma porta que se abre cheia de oportunidades a serem conquistadas e repassadas”, afirma.

Já formada, Patrícia espera ser reconhecida como um exemplo de protagonismo e pretende continuar desenvolvendo as ações do PPJ nas comunidades. Junto à família, ela tem o desejo de ampliar seus projetos produtivos, sempre de forma sustentável. “Quero continuar estudando e, por meio do meu conhecimento e exemplo, contribuir para transformar outras realidades na zona rural”.

Newsletter
Receba nossas novidades
Basta informar seu nome e melhor e-mail.
preload
2018 - 2020. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital