Comunicação

09h47

Irmãs se destacam na aquicultura

Conheça Rosângela e Débora, jovens produtoras de tilápia e associadas à Cooperativa dos Aquicultores de Águas Continentais

Compartilhe
Tamanho do texto

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o pescado é a mais saudável proteína animal, sendo a tilápia a preferência do brasileiro para consumo e produção. Graças a sua fácil adaptação a vários ambientes, ela representa 41% da piscicultura nacional. No Baixo Sul da Bahia, a cadeia produtiva da aquicultura é estruturada de modo associativista por meio da Cooperativa dos Aquicultores de águas Continentais (Coopecon), permitindo a inserção de famílias da zona rural em uma atividade produtiva que gera trabalho, renda, inclusão social e cidadania.

é neste cenário que as irmãs Débora Menezes, 23, e Rosângela Menezes, 25, da comunidade da Areinha, município de Taperoá (BA), estão construindo as suas vidas com a produção de tilápia em viveiros. Associadas à Coopecon, elas falam com orgulho dos resultados alcançados. Em março de 2015, Rosângela realizou a despesca de mais de sete toneladas do pescado. “A aquicultura está me proporcionando novas expectativas de vida e é uma ótima opção para complemento da renda familiar”, conta a produtora. Cooperada a menos de um ano, ela alia a vivência aquícola com o cultivo do cacau, guaraná, cravo, cupuaçu, banana-da-terra e mandioca.

Também em março, Débora, cooperada desde 2013, atingiu a marca de produção de 8,5 toneladas de tilápia. Nos cinco meses de cultivo, a cooperada garantiu uma renda mensal capaz de cobrir suas necessidades e começar a planejar o seu futuro. “Estou conquistando um aumento de renda e minha expectativa é que os resultados sejam ainda melhores. Com esse retorno, tenho o objetivo de adquirir uma casa em meu município e buscar a capacitação profissional para ir cada vez mais longe”, afirma.

A Coopecon faz parte do Pacto de Governança do Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade do Mosaico de áreas de Proteção Ambiental Baixo Sul da Bahia (PDCIS), fomentado pela Fundação Odebrecht com o apoio de parceiros públicos e privados. Em 2014, a produção de filé de tilápia dos seus associados, como Débora e Rosângela, ultrapassou a marca de 880 toneladas.

 

Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital