Comunicação

09h24

Organização de Conservação da Terra contribui para a conservação da Mata Atlântica

Instituição apoiada pela Fundação Odebrecht atingiu a marca de 180 mil árvores plantadas na região do Baixo Sul da Bahia

Compartilhe
Tamanho do texto

Em 2015, a Fundação SOS Mata Atlântica e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais divulgaram novos dados do Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, levantados entre 2013 e 2014. A pesquisa apontou um desmatamento de 18.267 hectares (ha), ou 183 Km², de remanescentes florestais nos 17 Estados da Mata Atlântica, o que equivale a 18 mil campos de futebol. Quando comparado a anos anteriores, os dados são animadores, pois registraram uma queda de 24%.

Mas o desafio ainda é grande. A Bahia, por exemplo, tem o terceiro maior índice de desmatamento no país – o ranking considera florestas nativas, sem contar outras classes, como vegetação de mangue e restinga. Apesar disso, a pesquisa aponta que o Estado conseguiu reduzir em 2% o número de mata derrubada.
Se depender da Organização de Conservação da Terra (OCT), instituição apoiada pela Fundação Odebrecht, esse número será ainda maior. A OCT atua na Área de Proteção Ambiental (APA) do Pratigi, localizada na região do Baixo Sul, que tem 171 mil hectares e está inserida no Corredor Central da Mata Atlântica. Em 2015, atingiu a marca de 180 mil árvores plantadas e suas ações buscam promover a conservação do solo, da flora, da fauna e revitalizar os recursos hídricos locais.

Segundo Volney Fernandes, diretor executivo da instituição, trata-se de um número expressivo e com uma história que agrega serviços ambientais e fortalece a resiliência nas comunidades. “Estamos contribuindo com a proteção de 40% das espécies de pássaros da Bahia e 398 espécies arbóreas por hectare de floresta”, ressalta Fernandes.

As 180 mil árvores plantadas são fruto de projetos executados com o apoio das parcerias com a Fundação Odebrecht, o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), o Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA) e, também, a contribuição de pessoas físicas e jurídicas, por meio de um projeto de neutralização de carbono. Espalhadas por toda a APA do Pratigi, as restaurações foram realizadas em Áreas de Preservação Permanente priorizando as nascentes, com mudas desenvolvidas no viveiro da OCT. Todas as sementes que geram essas mudas são colhidas por agricultores familiares, membros da Rede de Coletores de Semente da APA do Pratigi, formados e capacitados pelo projeto “Produzindo Sementes, Mudando Vidas”. A iniciativa é executada pela instituição com apoio do Instituto Oi Futuro.

A OCT atua em sinergia permanente com os agricultores familiares da região. Um deles é Jovan do Nascimento, de 44 anos, primeiro produtor local a ter uma nascente restaurada. Para ele, as mudanças já são visíveis. “Antes, a água da nascente tinha gosto de ferrugem, era muito ruim. Hoje, podemos até beber”, orgulha-se. “Agora tem água de sobra - e não é só porque está chovendo, não”, exclama. “Me sinto feliz. Já pensou no futuro faltar essa água aí? O que seria dos meus netos?” A esposa, a agricultora Adenilda Santos, 40 anos, complementa: “a água que utilizam para lavar roupa e louça, tomar banho e cozinhar, também ficou mais ’limpinha’”.

Sobre a OCT
A OCT é apoiada pela Fundação Odebrecht, através do Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade (PDCIS), que atua no Mosaico de Áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia – região com 11 municípios, onde vivem 285 mil pessoas. O Programa, coordenado pela Fundação Odebrecht, promove a educação, geração de trabalho e renda, com cidadania e respeito ao meio ambiente e une esforços dos Governos Federal, Estadual e Municipal, da iniciativa privada e da sociedade civil. O objetivo é tornar a região próspera, de forma socioeconômica e ambientalmente sustentável.

O Programa PDCIS busca construir oportunidades para os jovens e suas famílias desenvolverem seus cultivos nas comunidades em que vivem, tudo em harmonia com a conservação do meio ambiente. Por isso, a OCT orienta tecnicamente os agricultores locais para a realização de um manejo adequado dos cultivos e a conservação da água. Desde 2012, mais de 9.000 hectares de área foram conservados, 1.500 famílias atendidas e 72 nascentes recuperadas.

Sobre a Fundação Odebrecht
A Fundação Odebrecht, uma instituição privada, sem fins lucrativos, instituída pela Organização Odebrecht, completou 50 anos em 2015.  Desde que foi criada, a Fundação Odebrecht tem como foco contribuir para a formação de uma população estruturada em famílias, responsável pelo próprio desenvolvimento sustentável. Sua missão é educar para a vida, pelo trabalho, para valores e superação de limites.

A Fundação Odebrecht tem como base de suas ações a prioridade nas Pessoas, com a valorização do Ser Humano e a crença em sua capacidade e desejo de evoluir. A essência está baseada nos princípios, conceitos e critérios da Tecnologia Empresarial Odebrecht. 

 

Newsletter
Quer apoiar nossa causa?
Cadastre nome e e-mail e aguarde nosso contato.
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital