Comunicação

16h55

Programa no Baixo Sul ajuda a reduzir desigualdade social

Data: 08/11/2004

 Seção: AQUI SALVADOR

 Veículo: Correio da Bahia 


Programa no Baixo Sul ajuda a reduzir desigualdade social


As realizações mais recentes e as próximas iniciativas do Programa de Desenvolvimento Integrado e Sustentável do Baixo Sul da Bahia, promovido pela Fundação Odebrecht, foram apresentados, na semana passada, ao secretário do Planejamento do Estado, Armando Avena, pelo presidente da instituição, Norberto Odebrecht. O programa atinge 11 municípios de uma das regiões mais pobres da Bahia, localizada a 270km da capital, levando cidadania e ações de desenvolvimento econômico e social para cerca de 250 mil habitantes.O programa atua em quatro eixos básicos: Capital Produtivo, Capital Humano, Capital Social e Capital Ambiental. Sua operacionalização conta com a parceria do governo do estado, através de 15 secretarias, entre as quais a Secretaria do Planejamento (Seplan).Na esfera do Capital Produtivo foram estruturadas cadeias produtivas de mandioca, aqüicultura (com a produção de ostras e tilápias) e de palmito, gerando emprego e renda. Segundo Norberto Odebrecht, uma das metas do programa é melhorar a distribuição de renda, o que pode ser feito reduzindo o número de atravessadores entre os produtores locais e os consumidores finais, inclusive buscando mercados internacionais.Um dos passos dados nesse sentido ocorreu este ano, quando o grupo francês Auchan adquiriu 1,2 mil quilos de tilápia para serem comercializadas na Europa. Os produtos têm selos de qualificação que certificam a utilização de tecnologias limpas e a preocupação ambiental da comunidade produtora, o que é uma das vertentes do Programa DIS Baixo Sul. Parceiros - "É preciso que grandes empresas se agreguem como parceiros sociais", afirmou Odebrecht. Ele adiantou que está sendo articulada uma parceria com uma grande rede de supermercados para que esta possa levar o palmito produzido no baixo sul baiano para ser vendido na Europa e nos Estados Unidos. "É importante que as empresas despertem para a importância de atuar com responsabilidade social", destacou Armando Avena.A atuação do DIS Baixo Sul busca, além do desenvolvimento sustentável da região, promover ações chamadas de Capital Humano. Entre elas estão as casas familiares: Rural e Mar e a Casa Jovem. A primeira fornece educação profissional, formando jovens empresários rurais e aqüícolas, futuros líderes de suas respectivas comunidades e responsáveis por ajudar a construir o patrimônio moral e material indispensáveis ao desenvolvimento sustentável.Já a Casa Jovem objetiva desenvolver uma educação rural de qualidade, gratuita, orientada para o trabalho e cujo foco resida na formação de pessoas donas de seus próprios destinos. O programa inclui capacitação de professores. Por fim, a vertente Capital Social implementa o Instituto Direito e Cidadania, o qual promove condições favoráveis para o exercício pleno da cidadania, com foco na organização e no fortalecimento da área social, por meio dos programas Direito e Cidadania e Balcões de Direitos.

Newsletter
Receba nossas novidades
Basta informar seu nome e melhor e-mail.
preload
2018 - 2020. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital