09h33

Jovens da Casa Cultural da Floresta se apresentam no II CIAD

No último dia da II Conferência dos Intelectuais da África e da Diáspora, realizada em Salvador, jovens do Jatimane apresentam sua cultura e tradições.

Compartilhe
Tamanho do texto

No dia 14 de julho, dezessete jovens de 10 a 15 anos, da comunidade do Jatimane, em Nilo Peçanha, se apresentaram na Praça da Sé, como parte da programação da II Conferência dos Intelectuais da África e da Diáspora (II CIAD). O grupo apresentou uma pequena parte da peça “Comédia”, manifestação cultural local.

Juscelina Nascimento, coordenadora da Casa Cultural da Floresta (integrada à Cadeia Produtiva da Piaçava), explica que a vinda dos jovens visa divulgar a cultura afro-descendente e quilombola do Baixo Sul da Bahia. “Estes meninos e meninas fazem parte do projeto ‘Quilombo da Palavra’, da Casa Cultural da Floresta, que busca aproximar os jovens da história de seus ancestrais, resgatando a identidade quilombola e as tradições da região”, explica.

Ainda no dia 14, eles recepcionaram a Ministra Matilde Ribeiro e a cantora Leci Brandão durante uma visita de cortesia, no edifício-sede da Odebrecht, em Salvador. Os jovens cantaram e dançaram ao som do atabaque e aprenderam versos de composições de Leci.

O II CIAD tem como objetivo discutir temas como religião, arte, herança cultural, inclusão social e estratégias de desenvolvimento econômico. Reuniu intelectuais, artistas e chefes de estado durante três dias, em Salvador, na busca por soluções para as mazelas que assolam o continente africano, na luta pelo fim do preconceito racial e das barreiras econômicas que impedem o crescimento dessas nações.

Moça da varanda
Cultural dos Quilombolas

Homem: Bom dia ou boa tarde moça da varanda (bis)
Filha: O meu pai não está em casa pode ir se arretirando (bis)
Filha: Papai aqui tem um moço que quer lhe falar (bis)
Pai: Lá na sala tem cadeira manda ele se sentar (bis)
Homem: Eu não quero mim sentar vim falar particular (bis)
 Vim falar a sua filha para comigo casar (bis)
Pai: Eu não quero casamento em terra alheia (bis)
 O casamento que eu tenho pra ela esta aqui na minha peia (bis)
Filha: Ó papai não fale isto nem torne a repetir (bis)
 Se tornar a repetir arrumo a roupa pra fugir (bis)

Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital