10h12

Basílica de São Sebastião é reinaugurada após obras de restauração

A Basílica de São Sebastião do Mosteiro de São Bento foi reaberta no dia 11 de julho com uma missa solene, depois de 11 meses fechada.

Compartilhe
Tamanho do texto

No dia de São Bento, 11 de julho, uma missa solene marcou a reabertura da Basílica Arquiabacial de São Sebastião do Mosteiro de São Bento da Bahia, após onze meses fechada para reforma e restauro. A solenidade também deu início ao jubileu pelos 425 anos de fundação do Mosteiro, o primeiro construído nas Américas.

A obra, realizada com o patrocínio do Bradesco, por meio da Lei Roaunet de incentivo à cultura, em parceria com a ROHR e a Braskem, teve a supervisão do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e administração e execução da BV Engenharia. O Programa de Obras Sociais, com apoio institucional da Fundação Odebrecht, responsabilizou-se pela liderança da obra, tendo como engenheiro responsável Luis Carlos Ventura e a coordenação de Dom Gregório Paixão, Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Salvador.

 “A primeira reforma, em 1994, foi realizada em parceria entre o Governo do Estado da Bahia e a Construtora Norberto Odebrecht. Doze anos depois, temos uma nova restauração, decorrente do trabalho de construção de parcerias, pois elas agregam valores e enriquecem a troca de experiências”, revela Dom Emanuel D’Able do Amaral, Arquiabade do Mosteiro. Durante a missa, Dom Emanuel fez um agradecimento especial ao amigo Norberto Odebrecht.

Retornaram ao Altar Mor seis imagens esculpidas em mármore carrara, de escultores italianos do século XIX, retiradas há 22 anos. Cada uma pesa, em média, três toneladas. Três delas representam as virtudes teológicas (esperança, caridade e fé) e três são imagens de São Sebastião (padroeiro do Mosteiro), São Bento e Santa Escolástica (fundadores da Ordem Beneditina).  Com relevo no mesmo padrão do Altar, as estalas - construídas na década de 30 pelo monge beneditino alemão Irmão Lamberto - foram recolocadas. Reposto ainda o gradil de mármore, com duas esculturas representando anjos porteiros, o qual fazia parte do conjunto original do Altar, retirado na década de 50. O trabalho incluiu o restauro das cantarias do transepto e pintura de toda a Basílica.

Estiveram presentes ao ato solene o Governador do Estado da Bahia, Paulo Souto, e a primeira-dama, Isabel Souto, outras autoridades, diretores do Bradesco, representantes dos parceiros envolvidos, a comunidade católica do Salvador, Integrantes da Odebrecht S.A e da Fundação Odebrecht.

Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital