18h38

Parceria ABAQ e Casas Familiares avança na pesquisa sobre cultivo de ostras

A Associação Baiana de Aqüicultura doou sete mil sementes de ostras para serem usadas no processo de validação do cultivo no estuário do Baixo Sul.

Compartilhe
Tamanho do texto

A ABAQ, Associação Baiana de Aqüicultura, fez a doação de sete mil sementes de ostras para a execução de um projeto de pesquisa que tem sido desenvolvido em parceria com as Casas Familiares do Mar (CFM) e Agroflorestal (CFAF), a Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) e a Cooperativa Mista de Marisqueiros, Pescadores e Aqüicultores do Baixo Sul da Bahia (Coopemar).

A ABAQ é uma organização não-governamental que atua há mais de cinco anos com comunidades pesqueiras do recôncavo da Bahia, transferindo a tecnologia de cultivo da ostra nativa. Na região do Baixo Sul, os jovens das Casas Familiares, orientados pelos monitores e técnicos da ABAQ, estão desenvolvendo duas linhas de pesquisa. A primeira define forma, local e época para coleta de sementes. A segunda foca na duração da engorda das sementes coletadas na região e oriundas de outras localidades.

“A comparação do desempenho na engorda das sete mil sementes cedidas pela ABAQ, comprovadamente viáveis em seu ambiente de origem, com as sementes coletadas na região, permitirá uma avaliação da viabilidade da ostreicultura no Baixo Sul, quanto ao ambiente e qualidade das sementes”, explica a monitora da CFM e oceanógrafa, Helen Janata.

Ela conta que os estudos buscam mostrar se é viável economicamente a produção de ostras, transferindo a tecnologia para a cooperativa. “Buscamos alternativas de produção, servindo como centro gerador de pesquisa para a Coopemar que, por sua vez, buscará os resultados financeiros”, concluiu.

Newsletter
Quer apoiar nossa causa?
Cadastre nome e e-mail e aguarde nosso contato.
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital