05h17

Edição 131 - Relatório Odebrecht 2007 - Três mulheres e um sonho

A história de Luzimar, Luzinete e Maria Madalena ilustrou o Relatório Anual 2007 que trouxe também um resumo das principais ações da Fundação Odebrecht.

Compartilhe
Tamanho do texto
Luzimar, Luzinete e Maria Madalena, em Nilo Peçanha, Bahia.

Texto publicado no Relatório Anual Odebrecht 2007

 

Maria Madalena, Luzimar e Luzinete. Além dos laços de sangue, essas três mulheres têm um sonho em comum: o desenvolvimento de sua comunidade. Na busca por tornar este sonho realidade, elas integram a Cadeia Produtiva da Piaçava, um dos projetos do DIS Baixo Sul.

Com 66 anos, D. Maria é uma mulher ativa em sua comunidade. Ela acreditou, desde o início, no potencial dos projetos que foram implementados em Nilo Peçanha, município onde nasceu e se criou. Hoje, é a presidente da Casa Familiar Agroflorestal, que beneficia 60 jovens, incluindo sua neta Luzinete, 22 anos.

Luzinete aprendeu com a mãe, Luzimar, 40 anos, o artesanato à base da fibra da piaçava. Elas fazem bolsas, biojóias, suportes para pratos e copos. "Recebemos um curso de capacitação. Antes, o trabalho era mais pesado. Hoje, fazemos artesanato. É mais prazeroso e o rendimento melhorou", conta Luzimar. A mudança mais significativa está no reconhecimento e na autonomia que essas mulheres alcançaram em suas famílias e na comunidade.

DESTAQUES EM 2006

Criada em 1965, a Fundação Odebrecht cumpre a missão de contribuir para promover a educação de jovens para a vida, pelo trabalho e para valores, visando sua formação como cidadãos responsáveis, conscientes, produtivos, participativos e solidários. Desde 2003, concentra sua atuação no Programa de Desenvolvimento Integrado e Sustentável do Baixo Sul da Bahia - DIS Baixo Sul, voltado para erradicar a pobreza e reduzir as desigualdades nos 11 municípios da região, onde vivem 260 mil pessoas. Esse modelo de atuação começou a ser implementado em projetos em Angola e no Equador.

Capital Humano
165 jovens tiveram acesso a técnicas modernas de agricultura e aqüicultura. O trabalho, focado nas unidades-família de pequenos produtores, é desenvolvido nas casas familiares Rural, do Mar e Agroflorestal. Em paralelo, 565 alunos de 421 famílias receberam educação escolar formal na Casa Jovem I (Ensino Básico) e na Casa Jovem II (Ensino Médio).

Capital Produtivo
As cooperativas organizadas para o desenvolvimento das cadeias produtivas da mandioca, do palmito, da aqüicultura e da piaçava já agregam 2.353 pequenos produtores associados. Destacaram-se o início da produção do artesanato de piaçava e a exportação do primeiro lote de palmito para a Europa, no modelo de comércio justo (fair trade).

Capital Social
Através do Instituto Direito e Cidadania, cidadãos locais têm acesso a documentação básica e encaminham providências relativas a questões jurídicas e sociais. O instituto já propiciou 159 mil atendimentos acumulados.

Capital Ambiental
Voltado para a conservação dos recursos naturais da Mata Atlântica, o Plano de Desenvolvimento Integrado e Sustentável da Área de Proteção Ambiental do Pratigi, aprovado pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) entre dezenas de projetos, alia a geração de trabalho e renda à ocupação disciplinada do solo da região.


Acesse aqui

Edição 131 - Relatório Odebrecht 2007 - Três mulheres e um sonho
Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital