09h24

Edição 138 - Um lugar para se encontrar

No Baixo Sul da Bahia, programa cria ambiente de reflexão, troca de conhecimentos e aprendizado na área empresarial.

Compartilhe
Tamanho do texto
Manoel dos Santos, Maria Celeste e Carlos Guimarães

texto: Vivian Barbosa


fotos: Eduardo Moody

O som das palmas encheu o auditório. De pé, dezenas de jovens aplaudiam o que para eles significava a materialização de um sonho. O pedagogo Manoel dos Santos, de 28 anos, assumia a liderança de uma iniciativa ligada ao Programa de Desenvolvimento Integrado e Sustentável do Baixo Sul da Bahia – DIS Baixo Sul. Filho de Presidente Tancredo Neves, município da região, Manoel agora coordena a Casa Jovem, organização da sociedade civil que tem como objetivo promover educação de qualidade no campo. O novo desafio foi assumido em 20 de julho, durante o quarto encontro do Programa de Desenvolvimento de Jovens Talentos Protagonistas.

Fruto de uma parceria entre a Fundação Odebrecht e o Instituto de Desenvolvimento Sustentável do Baixo Sul da Bahia (Ides), a iniciativa busca criar um ambiente de reflexões, troca de conhecimentos e aprendizado na área empresarial. Manoel e outros 40 jovens, com idades entre 18 e 29 anos, reúnem-se mensalmente e são incentivados a compreender seu passado, contextualizar o presente e planejar o futuro, tendo como base a Tecnologia Empresarial Odebrecht (TEO).

A maioria dos participantes é egressa do Programa Aliança com o Adolescente, coordenado pela Fundação Odebrecht de 2000 a 2002. Jovens que foram beneficiados pelo Programa ou estão integrados ao DIS Baixo Sul completam o grupo. “Esta formação está contribuindo muito para minha vida profissional. Discutimos questões sobre liderança, planejamento e motivação. Aprendemos a importância de promover o engajamento de nossas equipes”, relata Manoel, que já atuou no Instituto Direito e Cidadania (IDC), apoiando a estruturação dos Conselhos Municipais de Direitos.

Olhos e ouvidos atentos, demonstrando absoluta concentração, os jovens fazem anotações e conversam rapidamente entre si quando alguma afirmação causa impacto. Tiram dúvidas, expõem suas opiniões. Palestras, exibição de vídeos, estudo de casos e dinâmicas de grupo são algumas das metodologias aplicadas nos encontros, iniciados em abril de 2008. “Entendemos que investir na formação de jovens é investir em nossos futuros líderes”, explica Clovis Faleiro, coordenador do Programa. Ele lembra que os egressos Maria a Pereira e Carlos Guimarães, cidadãos do Baixo Sul, também assumiram a direção executiva de projetos do DIS. “Há 20 anos, a missão da Fundação Odebrecht está focada na identificação e desenvolvimento de talentos. Essa missão se realiza quando os vemos apropriando-se das ações.”

Segundo Manoel, o momento é de integrar esforços pelo desenvolvimento da região. “Não somos mais promessas. Somos realidade. Uma formação continuada como a que recebemos agora nos motiva e instrumentaliza para essa nova caminhada.”

Corações e mentes

“Quando somos crianças e, brincando, caímos, logo nos levantamos e voltamos a correr. Agora, mais velhos, podemos avaliar por que nos machucamos e evitar que isso aconteça novamente.” Com essa comparação, Geiane Macedo explicou o processo de amadurecimento vivido por ela e pelos participantes do Programa de Desenvolvimento de Jovens Talentos Protagonistas. No módulo sobre Liderança, eles debateram práticas como tomada de decisões, definição de prioridades e foco em resultados. “Aprendi que ser líder é conquistar corações e mentes”, diz Geiane. “É educar pelo trabalho, dando o exemplo e superando obstáculos.”

Em 2005, aos 15 anos, a jovem ingressou na Casa Familiar Rural de Presidente Tancredo Neves. Nos três anos de formação, aprendeu sobre agricultura, criação de pequenos animais e conservação ambiental. Destacou-se no cultivo de hortaliças e ganhou dos colegas o título de “rainha da alface”. Mas foram as lições de protagonismo juvenil que a marcaram mais. “Aprendi que sou capaz de fazer qualquer coisa e isso me transformou. O que nunca mudou foi a minha vontade de aprender”, afirma Geiane, que também participa dos Círculos de Leitura, projeto que busca estimular a leitura e a escrita entre jovens do DIS Baixo Sul, desenvolvendo sua capacidade de expressão e contextualização.

Como multiplicadora, Geiane leva seu aprendizado para as comunidades do município de Presidente Tancredo Neves, onde mora. “O sonho de fazer a diferença se torna realidade. Valores que aprendi estudando a TEO, como o espírito de servir, posso colocar em prática.”

Na avaliação de Clovis Faleiro, o Programa vem superando as expectativas. “Temos debatido experiências empresariais de sucesso e o pensamento de grandes líderes, além de temas como globalização e responsabilidade social. O conteúdo é denso, mas os jovens demonstram motivação e desejo de aprender.”

Bons exemplos

Nas dinâmicas de grupo, a troca de experiências é constante. Gerações diferentes são combinadas com o objetivo de fazer com que os mais experientes sirvam de exemplo aos mais novos. O conhecimento daqueles que já estão assumindo desafios profissionais é colocado a serviço “da futura geração de líderes que nós representamos”, afirma Pedrina Belém, 19 anos. “Afinal, a perpetuidade de qualquer Organização está na educação de novos líderes, certo?”, ela diz, com sorriso de menina, mas convicção de adulto.

Pedrina está no último ano de formação na Casa Familiar Agroflorestal e se declara apaixonada pela comunicação social. Em julho, iniciou um estágio nesta área em apoio ao Ides. Cheia de planos, ela revela sua expectativa em relação aos módulos que serão ministrados até o fim do ano, dentro do Programa de Desenvolvimento de Jovens Talentos Protagonistas. Temas como administração de crises e elaboração de projetos são os mais esperados. “O negócio da minha comunidade, no município de Nilo Peçanha, tem como base a piaçava. A visão empresarial que estou adquirindo é muito importante para nossa cooperativa”, argumenta. “Como jovem protagonista que sou, minha obrigação é levar a oportunidade que estou tendo para mais pessoas. Meu papel é fazer, da informação, transformação”, ela acrescenta. Para cumprir essa meta, Pedrina diz que usará uma estratégia simples: a humildade. “Assim vou tocar o coração de todos.”


Acesse aqui

Edição 138 - Um lugar para se encontrar
Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital