17h17

Edição 139 - A Cultura do Servir

Em 1968 era publicado o primeiro livro escrito pelo fundador Norberto Odebrecht: o pequeno volume intitulado "De Que Necessitamos?" Odebrecht Informa convidou Marcelo Odebrecht, Presidente da Odebrecht S.A., para escrever um artigo sobre o tema.

Compartilhe
Tamanho do texto
Livros escritos por Norberto Odebrecht

Artigo de Marcelo Odebrecht, Presidente da Odebrecht S.A.

É raro vermos o fundador de um negócio, em geral um executor pragmático, ter a competência e a disciplina para conceituar. A Odebrecht teve esse privilégio. Toda a filosofia empresarial que move a nossa Organização foi materializada em livros, ainda na sua primeira geração.

O primeiro deles, De Que Necessitamos?, foi publicado há exatos 40 anos, quando a conquista de novos Clientes se tornou fundamental para a perpetuidade dos negócios. Nele, meu avô Norberto buscou sistematizar uma disciplina mental e uma ação prática voltadas para o sucesso.

Em 1944, quando foi fundada, a Construtora Norberto Odebrecht já nascia com a “elite de mestres-de-obras”, o “ativo que não aparecia nos balanços”, herdado da Emílio Odebrecht & Cia., empresa do meu bisavô que não resistiu à crise econômica provocada no Brasil pela Segunda Guerra Mundial. Na relação com aqueles mestres, que foram os nossos primeiros empresários-parceiros, nasciam as bases da Delegação Planejada e da Partilha dos Resultados.

O tempo passou, cresceram os desafios e surgiu a necessidade de se formar a próxima geração. Com a evolução da empresa, meu avô já não conseguia contato permanente com todos os seus mestres. Entre a “velha guarda”, ele havia conquistado muita intimidade. Apenas um gesto seu bastava para que aqueles homens diferenciados soubessem o que deveria ser feito. Com a nova geração, distribuída por diversos pontos do Brasil, as dificuldades de se comunicar com base apenas na palavra falada foram surgindo. Foi quando ele teve a idéia de colocar algumas notas no papel. Olhando o momento atual, de crescimento exponencial da nossa Organização, quando precisamos acelerar como nunca a integração de pessoas, não posso deixar de comemorar esta sábia idéia. E agradecer que meu avô tenha tido o dom e a disciplina para colocá-la em prática.

Assim, De Que Necessitamos? surgiu com o objetivo de oferecer uma referência empresarial para Líderes e Liderados e para a comunicação entre eles. Meu avô já tinha clareza da importância de instrumentalizar nossos líderes para a relação com seus liderados e a prática da educação pelo trabalho.

Junto com esse primeiro ensaio, surgiram as primeiras reflexões sobre a importância de se materializar a Cultura da Organização Odebrecht.

De todos os livros que sintetizam as Concepções Filosóficas da Tecnologia Empresarial Odebrecht – TEO, o mais conhecido é, certamente, Sobreviver, Crescer e Perpetuar, lançado há 25 anos, e que é o aperfeiçoamento de tudo. Em setembro de 2007, meu pai Emilio chamou a atenção para o fato de que, das 507 páginas dessa publicação, a palavra Líder está em 226. É na relação do Líder com seu Liderado que essa obra ganha vida, e a TEO, cores.

Quem lê esses dois livros, lançados há 40 e 25 anos, percebe a extrema atualidade do seu conteúdo.

Àqueles que estão ingressando na Odebrecht, um conselho: adotem Sobreviver, Crescer e Perpetuar como seu guia. Nele estão os Princípios Fundamentais, os Conceitos Essenciais e os Critérios Gerais e Operacionais que movem nossa Organização. Nele estão as diretrizes para o sucesso de cada um, de todos e do Todo.

A TEO transpira espírito de servir, desperta o desejo de fazer acontecer e o prazer pelo que é o certo. Esses valores e limites, que se aprendem na família, se aperfeiçoam na escola e se fortalecem na empresa.

Uns falam em filosofia empresarial, outros em cultura organizacional; mas, para os Integrantes da Organização Odebrecht que praticam realmente a TEO esta é uma filosofia de vida, centrada no trabalho e na educação. É preciso valorizá-la e praticá-la.

Toda instituição deveria expor sua filosofia em livro. Com uma filosofia empresarial internalizada e externalizada, os Clientes passam a ter um referencial para cobrar. Isso é sinal de disciplina, que gera o respeito. E, como explica meu avô, “a prática da disciplina e do respeito solidifica a cultura de confiança entre Parceiros e seu produto é a sociedade de confiança que a todos beneficia”.

Com a confiança, podemos praticar a liberdade com responsabilidade, um dos mandamentos da Tecnologia Empresarial Odebrecht, que espera dos seus Líderes e Liderados a prática do espírito de abertura – para influenciar e ser influenciado –, do espírito de equipe e do espírito de servir, visando a que todos possam evoluir para o desenvolvimento do espírito do tempo.

Cabe a todos nós internalizarmos a TEO e praticá-la em todos os âmbitos, porque, assim, podemos assegurar a Sobrevivência, o Crescimento e a Perpetuidade da Organização Odebrecht.


Acesse aqui

Edição 139 - A Cultura do Servir
Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital