08h26

Edição 139 - Jovem com uma causa

Educação para a cidadania fomenta capital social no Baixo Sul.

Compartilhe
Tamanho do texto
Décio Carvalho, do IDC, e Conselheiros Tutelares em processo de capacitação: consciência de seu papel social

Texto: Vivian Barbosa


Fotos: Almir Bindilatti

O perfil questionador de Décio Carvalho, 25 anos, intriga quem não o conhece bem. “Já ouvi dizer que sou do contra, mas acredito que há vantagens em buscar vários pontos de vista quando temos que avaliar algo.” O jovem afirma não se contentar em apenas vivenciar fatos: ele deseja entender profundamente o mundo à sua volta, movido por uma sede de conhecimento inesgotável.

Nascido no município de Ituberá, região do Baixo Sul da Bahia, Décio, aos 18 anos, já ajudava no sustento da família. Achava sua rotina difícil, mas sabia que pessoas próximas sofriam carências mais complexas. Quando, em 2000, participou do projeto Conhecendo o Baixo Sul, passou a conviver com essa outra realidade. De comunidade em comunidade, ele e outros 200 jovens voluntários aplicavam questionários para estabelecer um diagnóstico das condições socioeconômicas da região. A iniciativa, coordenada pela Fundação Odebrecht, também proporcionava aos participantes noções de cidadania.

Na época, foi detectado um grave quadro de falta de saneamento e educação de qualidade. Cerca de 30% da população não tinham sequer registro civil. Faziam parte de um Brasil sem nome. “Os jovens que participaram desta ação saíram motivados e conscientes dos desafios que o território enfrentava. Passamos a perceber o papel que deveríamos desempenhar para mudar esse contexto”, relata Décio, que adotou como objetivo de vida lutar por políticas públicas para a juventude do Baixo Sul.

“Toda essa experiência contribuiu para me transformar no cidadão que sou. Aprendi a me conectar com os diferentes meios e fontes de informação. Quando faço algo, estou verdadeiramente comprometido com a causa”, revela. Atualmente, a maturidade e profissionalismo de Décio estão a serviço do Instituto Direito e Cidadania (IDC), Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, responsável pelo fomento ao capital social dentro do Modelo de Desenvolvimento Integrado e Sustentável do Baixo Sul com foco na APA do Pratigi. O trabalho de Décio está associado à área de Educação para Cidadania, cujo foco é a capacitação de Conselhos Municipais e Tutelares.

Criado em 2004, o IDC já alcançou a marca de 245 mil atendimentos, entre emissão de documentação civil, regularização fundiária, mediação de conflitos e orientações jurídicas. “Nossa missão é contribuir para que a população exerça plenamente sua cidadania e assim possamos construir uma sociedade mais justa e solidária”, explica Décio. Em 2008, a instituição alcançou duas importantes conquistas. A primeira foi a implantação do Portal da Cidadania, com o apoio da Controladoria-Geral da União/Bahia, um centro de referência que orienta a população para o exercício da cidadania. A segunda, marcada pela inauguração do Ponto Cidadão, no dia 26 de julho, no município de Presidente Tancredo Neves. Resultado da parceria entre o Governo da Bahia e a Prefeitura Municipal, o Ponto Cidadão é um posto avançado para requisição e entrega de documentação civil, até então facilitada pelo IDC. Documentos que levavam entre 60 e 90 dias para ficarem prontos serão entregues em até duas semanas.

“Estou feliz por estar participando desse momento da história do IDC”, afirma Décio. “Estamos trabalhando para a disseminação da democracia participativa e os jovens têm um papel fundamental nesse processo. Precisamos deixar de vê-los como meio, como aqueles que serão o futuro. Somos o presente e podemos fazer a diferença hoje.”


Acesse aqui

Edição 139 - Jovem com uma causa
Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital