08h51

Edição 141 - Mais que um hábito, uma paixão

Projeto Círculos de Leitura incentiva jovens do Baixo Sul da Bahia a desenvolverem sua capacidade de escrita, expressão, contextualização e reflexão.

Compartilhe
Tamanho do texto
Legenda

texto: Vivian Barbosa


foto: Almir Bindilatti

Elisângela Almeida estava envolvida em suas tarefas domésticas, em um domingo, quando o telefone tocou. Era o estudante Weslen Reis, 12 anos. Ele queria saber quando acabava o recesso do projeto Círculos de Leitura. “Em nossa casa não temos livros e estou sentindo falta de ler”, disse o garoto. Esta história, narrada com emoção por Elisângela, simboliza a recompensa pelo trabalho que realizou ao longo de 2008. Após formar-se como multiplicadora, ela levou para mais de 200 crianças e adolescentes a magia e o prazer do mundo das letras.

Aos 21 anos, casada, Elisângela mora em Igrapiúna, no Baixo Sul da Bahia. “Eu estava no último ano do Ensino Médio quando participei da capacitação. Sempre julgava um livro pela capa e pelo volume. Hoje não há quantidade de páginas que me assuste”, brinca.

Uma parceria entre o Instituto Fernand Braudel (IFB) e a Fundação Odebrecht levou o projeto Círculos de Leitura ao Baixo Sul. “Queremos estimular o gosto pela leitura, desenvolvendo a capacidade de escrita, expressão, contextualização e reflexão sobre princípios e valores essenciais à formação de cidadãos e líderes”, explica a filósofa e psicanalista Catalina Pagés, idealizadora da metodologia.

Vinte e dois jovens das Casas Familiares e da Casa Jovem (projetos educacionais apoiados pela Fundação Odebrecht no Baixo Sul da Bahia) foram formados como multiplicadores e desenvolveram ações voluntárias em suas comunidades, com a participação de 584 pessoas. Os encontros, de duas horas, ocorrem três vezes por semana. “Lemos poesias e um clássico, refletimos sobre seu conteúdo e registramos nossas idéias em textos”, detalha Elisângela. Clovis Faleiro, responsável pelo projeto na Fundação Odebrecht, diz que a inovação do método está associada à seleção dos livros. “A escolha é feita com base na riqueza de cada obra em relação às lições para a vida.”

Levantamento feito em 2007 pelo Instituto Paulo Montenegro, ligado ao Ibope, revelou que 72% dos brasileiros têm dificuldades de ler e interpretar textos. O Círculos de Leitura é uma contribuição importante nesse contexto. Reconhecendo isso, a Secretaria da Educação da Bahia levará o projeto a 20 mil crianças e adolescentes de 26 escolas estaduais do Baixo Sul.

A parceria Fundação Odebrecht-IFB foi renovada para 2009, com investimentos de R$ 324 mil oriundos do Programa Tributo ao Futuro – destinação de imposto de renda dos integrantes da Odebrecht. “O projeto promete crescer à medida que despertar mais interesse nas escolas e nos espaços comunitários onde nossos jovens protagonistas atuam”, diz o embaixador Rubens Ricupero, Presidente do Conselho do Instituto Fernand Braudel e Membro do Conselho de Administração da Odebrecht S.A. Saiba mais sobre o Tributo ao Futuro em (www.tributoaofuturo.org.br)


Acesse aqui

Edição 141 - Mais que um hábito, uma paixão
Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital