19h07

Cooperativas são apoiadas por projeto Agricultura Familiar

Iniciativa da Empresa Baiana de Alimentos (Ebal) estabelece canal para escoamento de produção do campo, estimulando o consumo consciente.

Compartilhe
Tamanho do texto

Mais de 650 agricultores da região do Baixo Sul da Bahia terão seus produtos comercializados em quinze lojas da rede Cesta do Povo em Salvador e interior do Estado. O projeto Agricultura Familiar da Empresa Baiana de Alimentos (Ebal) - ligada a Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração do Governo da Bahia - facilitará o escoamento da produção de tilápia da Coopemar, vassoura de piaçava da Cooprap, palmito de pupunha da Coopalm e farinha de mandioca da Coopatan.

Os produtos serão comercializados por meio da constituição de uma Aliança Cooperativa, um modelo inovador que remunera justamente a contribuição de todos os setores envolvidos no processo: agricultor familiar, beneficiador e parceiro varejista. Com esta estratégia, as unidades-família pobres e excluídas se organizam em cooperativas e recebem acompanhamento técnico, garantindo maior produtividade e qualidade.

O foco é viabilizar a inclusão social pela justa partilha dos resultados, eliminando o atravessador e levando o produto direto para o consumidor final. “Passamos a ter como inovar e promover mudanças culturais voltadas para intensificação do ato cooperativo, estreitando a relação com os consumidores e desbravando espaços inexplorados, com grande potencial de crescimento sustentável”, explica Marcos Diniz, responsável pelo Núcleo de Aliança Cooperativa da Fundação Odebrecht.

Reub Celestino, Presidente da Ebal, conta que o Programa Agricultura Familiar é a oportunidade de consolidar um modelo de Cadeia Produtiva Sustentável. “As lojas da Cesta do Povo servirão como o corpo que faltava à alma da agricultura familiar”, afirma. A participação da Ebal, como parceiro varejista, ofertando seus pontos de venda, além de estabelecer um canal para o escoamento da produção, tem por objetivo estimular o consumo consciente. Nesse sentido, os produtos estarão dispostos em espaços exclusivos e serão desenvolvidas ações de comunicação sobre sua origem e qualidade. 

Reub Celestino visita projetos apoiados pela Fundação Odebrecht

No dia 24 de julho, o Presidente da Ebal, Reub Celestino, visitou projetos ligados ao Modelo de Desenvolvimento Integrado e Sustentável da Área de Proteção Ambiental (APA) do Pratigi. Roberto Lessa, responsável pela Aliança Cooperativa do Palmito, apresentou o modelo de inclusão social da Cooperativa dos Produtores de Palmito do Baixo Sul (Coopalm).

A agenda contemplou, entre outros projetos, uma passagem pela comunidade da Mata do Sossego, no município de Igrapiúna. Até 2004, as 82 famílias assentadas na Mata do Sossego formavam uma comunidade improdutiva, desarticulada e com altos índices de violência. Hoje, é modelo de desenvolvimento sustentável. Após mais de 3 anos de trabalho, a Mata do Sossego apresenta uma produtividade similar a da iniciativa privada na região, com a evolução da renda média mensal das unidades-família de R$ 150 para R$ 600 com a lavoura de pupunha.

Pela Fundação Odebrecht, também acompanharam a visita Marcos Diniz; Maurício Medeiros, Presidente Executivo; e Norberto Odebrecht, Presidente do Conselho de Curadores.

Newsletter
Quer apoiar nossa causa?
Cadastre nome e e-mail e aguarde nosso contato.
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital