17h39

Mãos que tecem desenvolvimento

Primeira linha de Biojoias lançada pela Cooprap reúne 26 peças e está sendo divulgada em feiras de artesanatos internacionais

Compartilhe
Tamanho do texto

Em mãos habilidosas, os cocos de piaçava se transformam em joias. Cada novo formato é resultado de um toque diferente, concedido pelo artesão, que se encanta ao ver o trabalho finalizado. Todas as peças são únicas. “Realizo-me vendo o que posso fazer. Vou unindo o coco com a fibra, brincando com as formas”, conta satisfeito Esdras Coutinho, associado da Cooperativa das Produtoras e Produtores Rurais da Área de Proteção Ambiental do Pratigi (Cooprap). O morador de Taperoá (BA) está utilizando prata, coco e fibra de piaçava para confeccionar Biojoias.

Esdras participou da produção da primeira linha de Biojoias lançada pela Cooprap – instituição apoiada pela Fundação Odebrecht e que faz parte do Programa de Desenvolvimento Integrado e Sustentável do Mosaico de Áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia (PDIS). Chamada de APA do Pratigi, a coleção reúne 26 peças e está sendo divulgada em feiras de artesanatos internacionais com o apoio da Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos). A parceria com a Apex foi firmada em novembro de 2010 para viabilizar a inserção das cooperativas ligadas ao PDIS no mercado externo.

“Esta é uma excelente oportunidade para a Cooprap. Estamos aproveitando todo o potencial das piaçaveiras e com isso criando chance de crescimento humano, social e produtivo, além de contribuir com a conservação do meio ambiente”, ressalta Creuza Amorim, artesã e Presidente da Cooperativa.

Para Esdras, o trabalho realizado em conjunto é fundamental. “A Cooprap está nos capacitando. Antes trabalhávamos com coco, hoje aprendemos a inserir a prata, o que tornou as peças mais atraentes e bonitas, melhorando sua qualidade”, destaca o artesão. A instituição tem contado com o apoio do Instituto Mauá para oferecer cursos aos seus associados.

Sobre a Cooprap
Criada em 2005 para impulsionar o desenvolvimento de comunidades quilombolas do Baixo Sul, promovendo qualidade de vida com sustentabilidade, a Cooprap reúne 105 associados. A Cooperativa implantou uma fábrica de vassouras, chamada Indústria Cidadã, e reintroduziu na região o artesanato com base no coco, na palha e na fibra da piaçava. São diversos os artigos produzidos, como cestas, mandalas, bolsas, bandejas, baldes, luminárias, entre outros. Atualmente os produtos são comercializados para a rede de lojas Tok&Stok, Bonanza e Arco-íris (artesanato), GBarbosa, Ebal e Walmart (vassoura) e Souza Ribeiro e WRossi (fibra de piaçava).

De acordo com a cooperada Aniele Rosário, da comunidade de Boitaraca, localizada em Nilo Peçanha (BA), o trabalho artesanal mudou sua vida. “Posso me programar e honrar meus compromissos. Tenho minha própria renda”, garante. Aniele destaca ainda sua realização ao exercer a atividade. “Temos a oportunidade de divulgar a nossa comunidade”.

Em 2010, a Cooprap conquistou a ISO 9001. A certificação, emitida pelo Grupo Bureau Veritas Certification, atesta que o sistema de gerenciamento é baseado em princípios de qualidade, com envolvimento da equipe, liderança, melhoria contínua, abordagem de processos e sistemas, entre outros.

Nova Coleção
A próxima coleção de Biojoias deve ser lançada em dois meses. A ideia é representar com a nova linha as riquezas das comunidades em que moram os associados da Cooperativa - Jatimane, Boitaraca, Itiúca e Assentamento São João – localizadas em Nilo Peçanha (BA) -, e Lagoa Santa, Rio do Campo, Itaberoê, Itaiaí, Ingazeira e Prainha 1 – em Ituberá (BA).

Onde comprar
Para adquirir as Biojoias entre em contato com a Cooprap:
Fone: (73) 3257-2486 ou (73) 9986-3451
Email: comercial@cooprap.com.br  
 

Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital