07h10

Área de Proteção Ambiental do Pratigi se configura como objeto de estudos acadêmicos

Parcerias com universidades estaduais viabilizam aproximação com pesquisadores

Compartilhe
Tamanho do texto

Composta por cinco municípios baianos – Nilo Peçanha, Ibirapitanga, Piraí do Norte, Ituberá e Igrapiúna - a Área de Proteção Ambiental (APA) do Pratigi se caracteriza por abrigar remanescentes da Mata Atlântica e por apresentar rica diversidade de fauna e flora. Além de ser a única APA no Brasil que configura um ecossistema completo, que vai das nascentes à faixa litorânea.

Compreendendo esse potencial, a Associação Guardiã da APA do Pratigi (Agir) tem viabilizado estudos e pesquisas na região por meio de convênios de Cooperação Técnico-Científica e Cultural, assinados, em 2009, com duas instituições de ensino baianas: a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) e a Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Dessa forma, diversas atividades vêm sendo realizadas, como encontros para implantação de projetos que visam à conservação ambiental, visitas de docentes e alunos para realizar aulas práticas no local, seminários científicos e reuniões de trabalho para discutir o desenvolvimento do turismo ecológico na região.

“A universidade visa produzir informação que contribua para minimizar os problemas da sociedade. O que chamamos de conhecimento socialmente referenciado. Tanto os nossos objetivos quanto os interesses da Agir se convergem enquanto filosofia de trabalho”, reforça Evandro do Nascimento Silva, biólogo e chefe de gabinete da reitoria da UEFS. Já Pedro Paulo, Diretor Executivo da Agir, reitera que “as parcerias com o universo acadêmico são importantes, pois permitem contatar novos colaboradores para o Programa. Em médio e longo prazo, pretendemos integrar ideias que contribuam para o crescimento sustentável de nossa região”.

Além de atrair o interesse de universidades, a APA do Pratigi foi objeto de estudo da tese de mestrado do Coronel Marcos Antônio Fermiano, do Exército Brasileiro. Formado pela Universidade Federal da Bahia, Coronel Fermiano abordou as ações realizadas na região e que estão ligadas ao Programa de Desenvolvimento Integrado e Sustentável do Mosaico de APAs do Baixo Sul da Bahia (PDIS). Iniciativa fomentada pela Fundação Odebrecht desde 2003 e da qual a Agir faz parte.

Apesar da intensa rotina de viagens e análises, o autor demonstra satisfação pela escolha do tema. “À medida que a pesquisa ia acontecendo, me entusiasmava mais para conhecer as atividades do PDIS na APA do Pratigi. E, assim, fui desenvolvendo um trabalho que rendeu um bom resultado. Por isso, afirmo que o importante é fazer o que se gosta”.

A tese, intitulada Estudo de usuários da informação ambiental como subsídio para a transferência de informação em prol do desenvolvimento sustentável da APA do Pratigi, tem previsão para ser disponibilizada no banco de dados da universidade daqui a um mês.

Newsletter
Quer apoiar nossa causa?
Cadastre nome e e-mail e aguarde nosso contato.
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital