11h17

Riquezas culturais do Brasil

Com apoio de parceiros locais, o Ides realiza ações para comemorar o Dia da Consciência Negra e o Ano Internacional dos Afrodescendentes

Compartilhe
Tamanho do texto

 “Zumbi é o senhor das guerras/ senhor das demandas/ quando Zumbi chega/ Zumbi é quem manda”. Assim ecoa a melodia de África Brasil, uma das canções mais emblemáticas do cenário musical brasileiro. Gravada em 1976 pelo artista e compositor Jorge Ben Jor, a letra faz uma homenagem a Zumbi dos Palmares, considerado um dos grandes líderes da história do Brasil e reconhecido como símbolo de resistência e luta contra a escravidão. Desde 1960, o dia de sua morte 20 de novembro de 1695 é lembrado em todo o território nacional como o Dia da Consciência Negra.

Em comemoração a essa importante data e ao Ano Internacional dos Afrodescendentes, proclamado pela Assembleia Geral das Nações Unidas como o ano de 2011, foi realizada a Semana da Consciência Negra, entre os dias 16 e 20 de novembro, nos municípios que compõem o Baixo Sul da Bahia. Coordenadas pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável do Baixo Sul da Bahia (Ides), as ações buscaram reforçar a importância da sustentabilidade econômica das comunidades negras da região, com foco no Etnodesenvolvimento. Além de proporcionar reflexões com a participação dos moradores, grupos culturais e lideranças quilombolas sobre políticas públicas aos povos afrodescendentes. “O encontro com diversos atores e artistas locais simbolizou o fortalecimento do nosso território em sua mais nobre e rica diversidade cultural”, afirma Liliana Leite, Diretora Executiva do Ides.

Integração
Durante a Semana, os destaques da programação foram a realização dos projetos Cineclube Vagalume, com exibições de filmes temáticos, e Eu Adoro Ser Criança, com a contação da vida de Zumbi dos Palmares, caminhadas culturais, seminários e debates sobre discriminação racial, e ainda apresentações artísticas, como capoeira e dança. Essas atividades buscaram alcançar o mesmo propósito: retomar a tradição e a cultura dos povos afrodescendentes e demonstrar sua relevância para a história do Brasil e do mundo. “Por meio das conversas e questionamentos, reforçamos nossa identidade e valorizamos nossas raízes ancestrais”, expressa Claúdio Roberto, educador do Colégio Estadual Professor Luiz Rogério de Souza, em Camamu.

O evento contou com apoio das prefeituras locais, Secretarias Municipais de Educação, de Cultura e de Turismo, colégios estaduais e municipais, bibliotecas públicas, grupos culturais e associações comunitárias e quilombolas. “O sentimento é de vitória, pois chegamos a um resultado gratificante. Que ações como essa sejam realizadas mais vezes”, sinaliza Célia Prezaste, coordenadora do Filhos da Terra, grupo de dança de Valença.

A celebração do Dia da Consciência Negra fez parte de um calendário de eventos do Programa de Desenvolvimento Integrado e Sustentável do Mosaico de Áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia (PDIS). Realizadas durante 2011, as comemorações tiveram como objetivo promover a aproximação das comunidades ao Programa, além de levar informações sobre seus principais resultados e desafios.

Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital