10h55

Educandos do Construir Melhor projetam Casa Modelo

Ação cumpriu parâmetros do Minha Casa, Minha Vida, iniciativa do Governo Federal, aliando qualidade com baixo custo

Compartilhe
Tamanho do texto

Manipular elementos estruturais, ter acesso à tecnologia de materiais, interpretar projetos e fazer elevação de alvenaria são alguns dos assuntos inseridos no currículo dos jovens do Centro de Formação Profissional Construir Melhor, situado em Valença (BA). Oferecendo o único curso de longa duração do Brasil, com 18 meses, o Construir Melhor possibilita a seus educandos que integrem os conhecimentos teóricos voltados para construção civil com a prática exercida em canteiros-escolas.

Como conclusão da formação, os estudantes são desafiados a desenvolver um trabalho que contemple o que aprenderam no Centro. A última turma, formada em maio deste ano, viveu a experiência de construir um projeto de Casa Modelo, que deveria seguir os parâmetros definidos pelo programa do Governo Federal “Minha Casa, Minha Vida” e que fosse adaptável a portadores de necessidades especiais. Esses critérios obedecem às normas técnicas do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat e se adéqua às exigências de sustentabilidade da Caixa Econômica Federal (CEF), como uso de madeira de origem certificada.

Foram necessárias três semanas para que a Casa ficasse pronta. Cada etapa de execução da obra teve um jovem como líder do processo, com o acompanhamento do engenheiro Felipe Nasser e do monitor Vilson Carlos Martins, estudante formado na primeira turma do Construir Melhor. “Não precisei de muito tempo para ter certeza do que queria e a formação no Centro me motivou a conhecer melhor a área da construção civil”, assegura Marcos Sousa Brasileiro, 22 anos, um dos educandos envolvidos na Casa Modelo. A autoria do projeto é de Alessandro Trindade Leite, Arquiteto e Urbanista.  

Diferenciais
Habitação de qualidade com baixo custo é o que diferencia a Casa Modelo de outras construções. Durante a atividade de elaboração do projeto e execução da obra, os jovens adotaram técnicas de paginação, método que permite mensurar antecipadamente o uso de materiais, evitando assim o desperdício de resíduos sólidos. Dessa forma, foi usada a quantidade suficiente de blocos de concreto para a estrutura das paredes, de cerâmica para revestimento do piso e de forro de PVC para o teto.

Planos futuros
Com o projeto pronto, a proposta é que ele sirva como um dos resultados do trabalho do Construir Melhor para os atuais e futuros parceiros. Como é o caso de prospectar aproximação com o Ministério das Cidades a fim de tornar o Centro responsável pelas obras do “Minha Casa, Minha Vida” que serão realizadas em Valença – cerca de 300 casas populares - e em outros municípios do Baixo Sul. Além disso, a Casa Modelo será usada como parâmetro de construção para os próximos estudantes.

Marcos Brasileiro foi um dos jovens envolvidos no projeto

Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital