15h22

Mediação de conflitos estimula a comunicação e resolução pacífica de impasses

Conheça atividade que o Instituto Direito e Cidadania desenvolve há oito anos em comunidades rurais. Livro lançado em dezembro sistematiza esta experiência

Compartilhe
Tamanho do texto

O ser humano, em sua convivência social, se depara com situações adversas, que necessitam, muitas vezes, de soluções pacificadoras. Porém, nem sempre isso é possível. “O conflito é algo inerente à vida humana”, expressa Maria Celeste, Diretora Executiva do Instituto de Direito e Cidadania (IDC). Orientar as pessoas a lidar da melhor forma com divergências nas relações de qualquer natureza é um dos trabalhos do IDC. O processo é conhecido como mediação de conflitos, em que as partes envolvidas são convidadas a vivenciar um contato direto, sendo estimuladas a resolver o impasse amigavelmente.

As etapas desse processo podem ser encontradas de forma sistematizada no livro Mediação – um novo paradigma para convivência humana, lançado no dia 14 de dezembro pelo IDC, no município baiano de Presidente Tancredo Neves (PTN). Formado por dez capítulos, o compilado detalha a mediação de conflitos, atividade que vem sendo realizada pelo Instituto desde sua origem, em 2004. Atualmente, o IDC contabiliza 1.650 atendimentos dessa natureza, contemplando cerca de 3.300 pessoas. “Com esse trabalho, estamos contribuindo para que os moradores da região possam exercer seus direitos, falar sobre suas dificuldades e encontrar a melhor solução para isso, sem perder o canal da comunicação”, assegura Celeste.


Livro que traz a sistematização da medição de conflitos


Para Juliana Guanaes, mediadora e advogada da instituição, além de responsável pela organização e produção textual da obra, o resultado se consolida quando a mediação deixa de ser uma prática imediatista para influenciar transformações ao longo do tempo. “O trabalho favorece as pessoas pela mudança de padrões comportamentais, linguísticos e relacionais, com desenvolvimento de habilidades para falar e escutar”, registra.

Na noite do lançamento, cada convidado ganhou um exemplar do livro e ainda pôde conferir apresentações musicais feitas pela equipe do IDC. Estiveram presentes no evento Moacir Pereira dos Santos, prefeito eleito de PTN, acompanhado pelo vice-prefeito Moacir Félix; José Alves, presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, e José Carlos Luz, Presidente do Conselho do IDC.

Em uma sessão especial, o livro foi apresentado aos supervisores e parceiros dos 82 Balcões de Justiça da Bahia no Encontro Anual dos Supervisores dos Balcões de Justiça e Cidadania, promovido pelo Tribunal de Justiça nos dias 6 e 7 de dezembro. Na ocasião, todos foram presenteados com um exemplar.

Mediação e TEO
A filosofia que embasa a mediação apresenta pontos que se conectam sinergicamente com os princípios difundidos na Tecnologia Empresarial Odebrecht (TEO). Desenvolvida ao longo de décadas por Norberto Odebrecht, Presidente de Honra da Odebrecht S.A. e do Conselho de Curadores da Fundação Odebrecht, essa cultura empresarial provê os fundamentos éticos, morais e conceituais para a atuação dos Integrantes de toda a Organização. Percebendo sua importância, o IDC assume a TEO como base filosófica. “Vivenciando a Tecnologia diariamente, o IDC busca otimizar seu negócio, impactar diretamente na vida de cada cidadão, que conta com os serviços de uma instituição séria, diligente e produtiva”, destaca Celeste.

Dentre os pontos em comum, enumerados em um dos capítulos do livro, destacam-se comunicação, desenvolvimento de relação de confiança, cooperação e espírito de servir. “A proposta é conduzida com respeito às limitações de cada um, dando ao cidadão a oportunidade de expressar suas inquietações por meio da conversa”, assegura Lenira Costa, mediadora do IDC.

Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital