11h07

Edição 165 - Foco na economia e na cultura

Esforço conjunto permite expansão do Agroecoturismo no Baixo Sul da Bahia

Compartilhe
Tamanho do texto

texto Gabriela Vasconcellos
fotos Élcio Carriço

Eduardo do Rosário: desenvolvimento da comunidade

Se houver efetiva sinergia, de acordo com a Tecnologia Empresarial Odebrecht (TEO), a ação simultânea e harmônica de seres humanos irá conduzir a resultados maiores. Essa integração envolve poder de cooperação, valorização das diferenças e capacidade de contextualizar, unificar e catalisar para, assim, alcançar o máximo do potencial coletivo.

Essa é a essência do Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade do Mosaico de Áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia (PDCIS). O desafio de tornar próspera e dinâmica uma área rural com grande patrimônio ambiental, fixando os jovens talentos na região, uniu poder público, iniciativa privada, sociedade civil organizada e Fundação Odebrecht, que, juntos, formam um sistema inovador de Governança Participativa.

O trabalho sinérgico desses diferentes atores foi adotado pelo Governo Federal, por meio de três ministérios, e a experiência do Programa passou a ser compreendida como de interesse nacional. A convite do Ministério do Meio Ambiente (MMA), o PDCIS foi apresentado na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, em 2012. A exposição, também apoiada pelo Ministério das Relações Exteriores, integrou a programação da Secretaria de Biodiversidade e Florestas do MMA.

A interação com o Ministério do Turismo (MTur) resultou no investimento de R$ 36 milhões no Baixo Sul. “Acredito no sucesso do PDCIS e na expansão de um segmento que está em crescimento: o Agroecoturismo. Na região, o objetivo é trabalhar essa oportunidade do ponto de vista cultural e econômico, para estimular o desenvolvimento local”, ressalta o Secretário Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo do MTur, Fábio Mota.

Comunidade quilombola
Dividido em oito parcelas, o recurso requalificará 37 km da rodovia BA-250/Pratigi. O trecho une a BA-001 à Praia do Pratigi, localizada no município de Ituberá e também faz a ligação com a Estrada Parque da Cidadania (infraestrutura básica de comunicação e geração de riquezas que contribuirá para consolidar o Agroecoturismo).

“O investimento é de grande importância porque agrega valor ao destino Bahia”, salienta Fábio Mota. O Governo da Bahia será o intermediário entre o MTur e a OCT – Organização de Conservação da Terra, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público que integra o PDCIS e é responsável pela execução do projeto, inserido no braço ambiental.

A estrada não leva somente à praia. No caminho, surge uma comunidade quilombola. Jatimane, no município de Nilo Peçanha, cresceu sob os pés de piaçaveiras e é cortada por um rio que carrega o seu nome. As principais atividades econômicas das 90 famílias que ali vivem são baseadas no cultivo de piaçava e peixe.

Nos últimos anos, os moradores identificaram o turismo como alternativa de renda. “Acompanhamos turistas pela comunidade e oferecemos produtos como artesanato e biojoias à base de piaçava e restaurantes com comidas típicas”, conta Eduardo do Rosário, 39 anos, Presidente da Associação Comunitária do Jatimane. Para ele, a requalificação atrairá mais turistas. “O resultado será o desenvolvimento da nossa comunidade.”


Jatimane reúne 90 famílias

Conhecimento e experiência
A atuação conjunta da Fundação Odebrecht e parceiros para fazer acontecer o PDCIS está servindo de inspiração para a Organização Odebrecht. “O espírito e parte da metodologia do Programa no Baixo Sul estão presentes nas principais iniciativas sociais existentes no negócio Engenharia e Construção, a exemplo da Rodovia IIRSA Sul, no Peru, e o programa social Kulonga Pala Kukula, em Angola, e norteiam Contratos como o projeto de irrigação Remigio Rojas, no Panamá, e El Diluvio-Palmar, na Venezuela”, destaca Renato Baiardi, membro do Conselho de Curadores da Fundação e do Conselho de Administração da Odebrecht S.A., que acrescenta: “O trabalho da Fundação no Baixo Sul é emblemático para toda a Organização, uma vez que tem disponibilizado conhecimento e experiência”.
 


Acesse aqui

Edição 165 - Foco na economia e na cultura
Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital