10h24

Zona turística do Baixo Sul é apresentada no II Salão Baiano de Turismo

Parceria com instituições privadas e públicas possibilitou que o Agroecoturismo fosse apresentado por meio do Roteiro de Turismo Ecoétnico em evento que reuniu mais de 12 mil pessoas

Compartilhe
Tamanho do texto

Conhecer as belezas naturais, estimular a conservação natural e o respeito pelas tradições locais é a proposta do Agroecoturismo, um modelo de turismo agrícola, ecológico e sustentável que está sendo implantado na região baiana do Baixo Sul. Esse é um dos desafios do Instituto de Desenvolvimento Sustentável do Baixo Sul da Bahia (Ides), que faz parte do Programa de Desenvolvimento e Crescimento com Sustentabilidade do Mosaico de Áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia (PDCIS).

A fim de apresentar as especificidades do Agroecoturismo e torná-lo conhecido para um público estratégico, o Ides, em parceria com as secretarias municipais de Turismo da região, marcou presença no II Salão Baiano de Turismo, realizado entre os dias 10 e 14 de abril, em Salvador (BA). O evento reuniu 102 estandes comerciais e 32 institucionais, expositores das 13 zonas turísticas baianas e 20 segmentos turísticos, além de mais de 12 mil visitantes. “Precisamos incentivar as pessoas a verem, sentirem e entenderem o turismo. Ou seja, fazê-las descobrir os lugares e perceber o que oferecem de diferente e especial”, considerou Guayta Netto, Coordenadora de Turismo do município de Nilo Peçanha (BA).

Articulado pelo Ides, o público teve acesso à proposta do Agroecoturismo por meio do Roteiro de Turismo Ecoétnico, iniciativa que busca fortalecer o protagonismo comunitário e aproximar os visitantes da cultura do Baixo Sul. A fim de apresentar pontos principais do roteiro, alguns artigos turísticos estiveram expostos no estande da Costa do Dendê, como peças de artesanato feitas com fibra de piaçava da Cooperativa das Produtoras e Produtores Rurais da Área de Proteção Ambiental do Pratigi (Cooprap) e elementos da gastronomia local, como beiju, licor e dendê. “O evento foi muito positivo, pois tivemos a oportunidade de mostrar belezas que vão além de Morro de São Paulo e Boipeba”, pontuou Bruno Wendling, Secretário de Turismo de Cairu e vice-presidente da Câmara de Turismo da Costa do Dendê.

Como parte da programação de palestras do Salão, Pedrina Belém do Rosário, Interlocutora de Comunicação do Ides, fez uma exposição sobre as experiências do Restaurante Quilombola Pedro Sorriso, de Nilo Peçanha, que vem se tornando referência na região. “Essa troca de conhecimentos é motivadora, principalmente quando falamos de algo que vivenciamos diariamente”, declarou a jovem. Ainda com apoio do Ides, o Grupo Cultural Zambiapunga de Taperoá fez uma apresentação para o público, percorrendo todo espaço do evento.


Parceria permitiu que a região do Baixo Sul fosse apresentada no evento
 

A presença do Ides no II Salão Baiano de Turismo também contou com a parceria do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), da Associação dos Municípios do Baixo Sul, da Associação do Turismo de Valença e Guaibim e do Instituto Federal da Bahia. “Estamos convictos de que a integração entre diversos atores é o fio condutor na realização de ações estratégicas e fundamentais para a região do Baixo Sul”, assegurou Liliana Leite, Diretora Executiva do Ides.

Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital