10h45

Moradia de PVC é construída na Bahia

Educandos do Centro de Formação Construir Melhor foram responsáveis pelo projeto

Compartilhe
Tamanho do texto

Em Valença (BA), estudantes do Centro de Formação Profissional Construir Melhor encararam um novo desafio antes de concluírem o curso profissionalizante na área de construção civil: edificar uma casa sem utilizar blocos de concreto. O material convencional foi substituído por Policloreto de Vinila (PVC), o mesmo tipo de produto utilizado em tubos e conexões. 
 
A habitação apresenta uma redução no tempo da construção e eficiência na utilização adequada do material. é resultado da parceria com a Araforros, fabricante de forros e telhas de PVC, representada por Leopoldo Beserra, e Braskem, apoiada por Nilton Valentin, além da Royal Industrial do Brasil, fornecedora das peças e representada por Armando Diaz Marques. 
 
Vantagens como facilidade no transporte e manutenção do material, menor consumo de água e energia, elevada durabilidade e facilidade de limpeza são alguns dos diferenciais deste tipo de habitação. Essa tecnologia tem a garantia de 20 anos. 
 
A armação da estrutura de 42m² foi realizada em oito horas e toda a construção em apenas cinco dias. Arnaud Le Carré, monitor da turma concluinte, calcula ainda que o custo desse tipo de habitação é 35% menor do que os convencionais. Ele conta que a ideia do projeto surgiu em uma conversa com Christophe Houel, Líder da Cooperativa Estratégica da Construção Civil, e Carlos Fadigas, Presidente da Braskem, durante uma reunião na Serra da Papuã, localizada em Ibirapitanga (BA). ”Queremos demonstrar que é possível instalar moradias de um jeito fácil, rápido e econômico. Esperamos que a experiência sirva de exemplo”.


Moradia foi construída na sede do Centro de Formação
 
Alessandro de Jesus, 18 anos, é morador de Valença e um dos estudantes. Para ele, a edificação da Casa está sendo um marco. “Nunca imaginei que seria possível utilizar o plástico na construção civil. Foi um projeto prático e rápido, que gerou bastante aprendizado e pode trazer benefícios para a comunidade”, reforça. 
 
Jeicy Rosário, moradora da Comunidade de Ilha do Contrato, no município de Ituberá (BA), acredita que a nova tecnologia traz ainda esperanças para melhorar as condições de moradias da população local. Ela vive em um lugar de difícil acesso, onde qualquer material precisa ser transportado de barco. “O PVC seria um facilitador na construção de moradias. Quero expandir a novidade para a minha comunidade e facilitar o trabalho de muitas pessoas”, almeja a jovem.
 
Sobre o Construir Melhor
O Centro de Formação Profissional Construir Melhor é uma das instituições apoiadas pelo Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade do Mosaico de áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia (PDCIS), em conjunto com parceiros públicos e privados. 
 
Nas obras, transformadas em salas de aula, os educandos têm acesso aos conhecimentos práticos e teóricos transmitidos por monitores especializados na área de construção civil. 
 
Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital