08h33

Parceria com BNDES possibilita expansão da aquicultura no Baixo Sul da Bahia

Investimento gera trabalho e renda para cooperados da região e possibilta aumento da produção e número de associados

Compartilhe
Tamanho do texto

Produtos sustentáveis ganham cada vez mais espaço na mesa dos brasileiros. Isso é o que aponta uma pesquisa realizada em 2013 pela eCGlobal Solutions - provedora de soluções em tecnologia que mapeia informações sobre hábitos de consumo - que ouviu mais de dois mil internautas e constatou que 90% dos consumidores levam em consideração a preocupação do fabricante com questões ambientais.

Uma das instituições que tem como foco aliar conservação dos recursos naturais e processos produtivos ambientalmente adequados com alto valor agregado é a Cooperativa dos Aquicultores de Águas Continentais (Coopecon). Com atuação no Baixo Sul da Bahia, fomenta a geração de trabalho e renda de mais de 60 famílias da região e fornece o filé de tilápia para grandes redes de varejo em todo o País.

Para contribuir com esta iniciativa e ampliar a atuação da Coopecon, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) destinará o valor de R$ 1.680.000,00. “A quantia possibilitará a aquisição de equipamentos para ampliação da produção e a expectativa é de que mais 25 cooperados sejam incorporados”, esclarece Marcelo Costa, Coordenador-Integrador da Cooperativa Estratégica da Aquicultura.


 José Raimundo:  com ajuda de parceiros, o aquicultor
está realizando cultivo de peixe no Baixo Sul


Segundo Costa, até novembro de 2014, serão adquiridos tanques-rede, barcos de fibra, caminhões, baús isotérmicos, carrocerias e refrigerador, que possibilitarão redução de custos para a cooperativa e aumento de 400 toneladas na produtividade por ano. “Para cooperados com até 10 tanques-rede, a renda mensal terá um incremento de R$ 750,00. Esse número aumenta de acordo com a quantidade de fornecimento de cada associado”, esclarece.

Para José Raimundo Santos, Presidente do Conselho Deliberativo da Coopecon e aquicultor, a ampliação na produção é fundamental para contribuir com a mudança na vida da população local. “Antes de me associar, minha renda média mensal era de um salário mínimo. Hoje, pode chegar a mais de R$ 2 mil e essa é a realidade para muitos que fazem parte da cooperativa. Tudo mudou e a tendência, com parcerias que fortalecem nosso trabalho, é mudar ainda mais”.

“O apoio aos aquicultores do Baixo Sul faz parte da busca na contribuição para a melhoria da qualidade de vida dessa população que precisa de oportunidades para garantir seu sustento. Em parceria com a Fundação Odebrecht, temos conseguido colaborar com a dinamização da economia da região e contribuir com a geração de trabalho e renda no campo”, assegura Alessandra Mineiro, Administradora do Departamento de Economia Solidária do BNDES.

O investimento é fruto do Acordo de Cooperação Técnica e Financeira assinado em 2009 pelo BNDES e a Fundação Odebrecht. Com execução de seis anos, o Acordo contempla investimentos em ações sociais, produtivas, ambientais e de capacitação voltadas para o Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade do Mosaico de Áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia (PDCIS).

Clique e veja histórico completo da parceria do BNDES com o PDCIS.

Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital