09h21

Rumo ao Desenvolvimento Sustentável

Em 2003, a concentração de esforços passa a ser exclusiva no Baixo Sul da Bahia

Compartilhe
Tamanho do texto

Foi em 1940, durante suas frequentes visitas às obras da construtora em Ituberá, Bahia, que Norberto Odebrecht encantou-se com as belezas e riquezas naturais da região do Baixo Sul. Formado por 15 municípios e uma população que vive da agricultura diversificada, da pesca e do turismo, o território é um mosaico de áreas de Proteção Ambiental (APA) que, em meio à sua exuberância, convive com a pobreza local.

Com o intuito de contribuir para reverter esse quadro, Norberto Odebrecht iniciou, na década de 1950, negócios focados no desenvolvimento regional, que dinamizaram a economia do Baixo Sul da Bahia. Batizada de SAICI S/A – Ituberá Comércio e Indústria, operou em áreas diversificadas, porém, alguns anos depois, condições estruturais mudaram radicalmente a situação e culminou no encerramento da empresa.

O compromisso em desenvolver o Baixo Sul resultou, anos depois, em projetos como a “Aliança com o Adolescente pelo Desenvolvimento Sustentável”, realizado em conjunto com o Instituto Ayrton Senna, Fundação Kellogg e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ao todo, 18 municípios da Bahia, Pernambuco e Ceará foram escolhidos para ações de educação voltadas aos jovens.

A partir de 2003, todos os esforços de Norberto Odebrecht, à frente da Fundação, estiveram concentrados na realização das Unidades-Família do Baixo Sul, ao fomentar, ao lado de parceiros públicos e privados, o Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade do Mosaico de áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia (PDCIS).

Por meio da Governança Participativa, a Fundação Odebrecht exerce o espírito de servir unindo esforços de Governos (Federal, Estadual e Municipal), empresas e sociedade civil, com o desafio de tornar próspera e dinâmica uma área rural com grande patrimônio ambiental. “Estamos aqui para criar oportunidades para que vocês possam ganhar mais do que consomem. Assim vocês poupam e passam a adquirir riqueza material. Queremos que as famílias produtoras deixem de colocar dinheiro na mão dos atravessadores e sejam donas de cooperativas que possibilitam o lucro gerado na produção”, disse Norberto Odebrecht em passagem pela região no ano de 2000.

Com esse espírito, sistematizou a Tecnologia Empresarial Odebrecht (TEO), com os princípios, conceitos e critérios adotados pela Organização em sua atuação. A transferência e adaptação dessa tecnologia ao contexto social foi uma das maiores contribuições de Dr. Norberto ao PDCIS.

Influenciadas pela TEO, as 17 instituições que integram o Programa trilham um caminho rumo ao desenvolvimento sustentável. Somente em 2003, mais de 23 mil pessoas foram beneficiadas diretamente, 424 jovens empresários rurais foram formados e mais de 1.100 Unidades-Família estavam associadas às cooperativas.

Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital