17h01

Tecnologia desenvolvida pela Cooperativa dos Produtores de Amido é replicada em município baiano

Inovação utilizada durante processos industriais promove a conservação ambiental

Compartilhe
Tamanho do texto

Promover o desenvolvimento sustentável é uma das premissas da Cooperativa dos Produtores de Amido de Mandioca do Estado da Bahia (Coopamido), localizada no município de Laje (BA).  As raízes de mandioca cultivadas pelos cem agricultores que a formam, são beneficiadas pelo Parque Industrial da Cooperativa, com capacidade de processar ou moer mais de 200 toneladas por dia. O método utilizado pela unidade envolve etapas como lavagem, secagem, trituração e purificação.

Nessa indústria, tecnologias são criadas buscando evitar a poluição do meio ambiente e minimizar o aquecimento global. Por isso, a indústria implantou o biodigestor para aproveitar a manipueira - líquido oriundo da extração de amido - com utilização de biogás e substituição parcial da lenha na caldeira. “A utilização desse método já reduziu a queima de lenha em mais de 38% e quase 100% do aroma de fermentação dos resíduos orgânicos”, afirma Eduardo Ferreira, Engenheiro Agrônomo responsável pelo Projeto.


Equipe da Coopamido e parceiros durante implantação do projeto em Varzedo (BA)


As técnicas utilizadas na indústria serviram de inspiração para a implantação de um projeto piloto realizado em parceria com a 1ª Promotoria de Justiça de Santo Antônio de Jesus (BA), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Prefeitura Municipal de Varzedo e Planotec Biodigestores – empresa responsável pela implantação da tecnologia. Com isso, a técnica do biodigestor foi reproduzida em menor escala e está em fase de experimento em duas casas de farinha localizadas no município de Varzedo (BA).

De acordo com Carlos Estevão Cardoso, Supervisor do Setor de Gestão de Transferência de Tecnologia da Embrapa, o intuito é combater os efeitos negativos causados durante a produção nesses estabelecimentos, entre eles, o impacto na qualidade da água e a emissão de gás com fortes odores, o que causa desconforto em comunidades vizinhas. “O projeto piloto vai mostrar a viabilidade no uso de novas ferramentas e as melhorias que estão agregadas a isso.”, diz.

Olg Robson Cerqueira Santos, Coordenador de Defesa Civil de Varzedo, ressalta que no município foram mapeadas 150 casas de farinha e a previsão é que em até um ano a maioria utilize o biodigestor em suas instalações. “O acompanhamento será direto com esses estabelecimentos e com isso vamos reduzir as queimas ilegais, conservando o meio ambiente”.

Com os resultados gerados pela nova experiência, o intuito é replicar a iniciativa para todo o Estado. “Queremos ser referência no tema e estimular a implantação de políticas públicas para a Bahia e consequentemente para todo o País”, ressalta Estevão.

Sobre a Coopamido
A Cooperativa está inserida no Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade do Mosaico de áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia (PDCIS), fomentado pela Fundação Odebrecht com o apoio de parceiros públicos e privados.

Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital