13h36

Edição 175 - Baixou em Sampa!

Edifício Odebrecht São Paulo ambienta semana do Baixo Sul Da Bahia, com apresentação de iniciativas que integram o Pacto de Governança do PDCIS

Compartilhe
Tamanho do texto

texto Gabriela Vasconcellos
foto Holanda Cavalcanti

Na manhã do dia 6 de outubro, os integrantes e parceiros que trabalham no Edifício Odebrecht São Paulo (EOSP) perceberam uma movimentação diferente. A curiosidade saltava aos olhos. No mezanino do sexto andar, perto do restaurante, um pedaço do Baixo Sul da Bahia ganhava vida. Um pouco mais tarde, na hora do almoço, nova surpresa: canções no ritmo baiano invadiram o espaço e embalaram a refeição.

Estava aberta a Semana do Baixo Sul da Bahia, que só teria fim no dia 10 de outubro e envolveria mais de 2 mil pessoas. Durante o evento, foram apresentadas as iniciativas as iniciativas que fazem parte do Pacto de Governança do Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade do Mosaico de áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia (PDCIS), fomentado pela Fundação Odebrecht, com o apoio de parceiros públicos e privados.

“Foi uma iniciativa na qual a Organização Odebrecht passou a conhecer a dimensão e o potencial do programa apoiado pela Fundação”, avalia Eduardo Odebrecht de Queiroz, Vice-Presidente do Conselho de Curadores da Fundação Odebrecht. O evento foi fruto da provocação de Isabela Alvarez Odebrecht, que destacou a importância de se valorizar o trabalho realizado no Baixo Sul, com o comprometimento de todos os integrantes na perpetuação do legado de Norberto Odebrecht.

A programação contemplou um cardápio especial, no restaurante do EOSP, preparado com produtos das cooperativas ligadas ao PDCIS, além de exposição e comercialização desses produtos. No total, 1.118 unidades foram vendidas.



A mostra de produtos no EOSP: contato dos integrantes da Organização
com os projetos de vida dos jovens do Baixo Sul

Ao longo dos cinco dias foi possível interagir com estudantes e jovens agricultores beneficiados pelas Casas Familiares Rurais – unidades de ensino que integram o PDCIS. Segundo Sérgio Leão, Responsável por Sustentabilidade na Odebrecht, esse foi o diferencial do evento. “A exposição permitiu às pessoas apreciarem os projetos de vida dos jovens. Lemos a respeito, conhecemos à distância, mas estar com eles é ver de fato uma realidade de transformação.” é o que também ressalta João Cumerlato, Responsável pelo ConectCar na Odebrecht TransPort. “Estive na região em 2006, quando entrei na Organização Odebrecht, e me apaixonei pela revolução social que estava acontecendo lá. Hoje fico feliz em ver uma ação como essa. Os novos empresários rurais estão realmente dando frutos e produzindo.”

Camila Paz, integrante da equipe de Incorporação da Odebrecht Realizações Imobiliárias, também aprovou com entusiasmo a iniciativa. “Sou de São Paulo e só tenho acesso ao trabalho realizado pela Fundação por meio da divulgação interna da empresa. Pessoalmente, você começa a ter um outro ponto de vista. é interessante ver os jovens apresentando o que fazem e explicando como funciona.”

Interação que gera resultado

Os visitantes conheceram ainda os programas Tributo ao Futuro, da Fundação Odebrecht, e Carbono Neutro Pratigi – iniciativa da Organização de Conservação da Terra (OCT), instituição que faz parte do PDCIS. Por meio do Tributo, integrantes da Odebrecht e parceiros destinam parte do Imposto de Renda e investem em ações que promovem a educação do campo de qualidade e a formação profissional de jovens talentos do Baixo Sul. “Levo para todos o que é o PDCIS, o que é essa responsabilidade e o que é investir no Tributo ao Futuro, pois nós temos obrigação de contribuir”, reforça Carmem Luci de Freitas, da área Social da Odebrecht Ambiental (Aquapolo).

No espaço da OCT, os participantes puderam medir o impacto de suas ações no meio ambiente e compensá-las. Marcela Nardelli, da equipe Jurídica da Braskem, foi uma delas. “A neutralização de carbono me chamou atenção porque, às vezes, as
pessoas só pensam em comprar o carro novo e passear de avião. A maioria não vê nisso a questão ambiental e é importante a gente fazer o rebate, pensar na outra ponta e não só no consumo insustentável.”

O Programa Carbono Neutro Pratigi permite que qualquer pessoa ou empresa calcule a quantidade de carbono que emite. Para isso, basta acessar o site da OCT (www.oct.org.br) e informar quantas viagens aéreas realiza por ano, qual combustível utiliza, se faz a separação do resíduo que pode ser reciclado, entre outros dados. O resultado é exibido em números de árvores e valores em reais de quanto custaria o plantio. é possível financiar o serviço para que a OCT o execute. As neutralizações realizadas no EOSP permitirão a plantação de 136 árvores na área de Proteção Ambiental do Pratigi, localizada no Baixo Sul.

Os livros que reúnem os princípios, conceitos e critérios da Tecnologia Empresarial Odebrecht (TEO) também puderam ser consultados e adquiridos no “Cantinho da Leitura”. Além disso, os integrantes tiveram a oportunidade de doar publicações para as bibliotecas das Casas Familiares Rurais. Ao final do evento, foram contabilizados mais de 300 títulos.

A realização da Semana do Baixo Sul da Bahia no EOSP foi apoiada pela Odebrecht S.A. e pela Odebrecht Properties (OP), por meio da equipe de Facilities. De acordo com Marcos Lima, Líder de Facilities na OP, é importante levar essa experiência a outros escritórios da Organização. “Tive oportunidade de conhecer o trabalho da Fundação Odebrecht de perto, e a ideia era mostrar isso. é a nossa causa. Hoje é um prazer assistir à conclusão, os resultados que estamos colhendo. Espero que possamos repetir em outros lugares.”


Acesse aqui
Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital