11h28

Impulsionando o desenvolvimento

Há 12 anos, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária contribui com a formação de jovens estudantes e impulsiona a produção de empresários rurais do Baixo Sul da Bahia

Compartilhe
Tamanho do texto

Desde 2003, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) contribui com a formação de jovens estudantes e impulsiona a produção de empresários rurais do Baixo Sul da Bahia. Por meio de uma parceria com a Casa Familiar Rural de Presidente Tancredo Neves (CFR-PTN) e com a Cooperativa de Produtores Rurais de Presidente Tancredo Neves (Coopatan), estudos e experimentos são realizados com a missão de viabilizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação para a sustentabilidade da agricultura.

A CFR-PTN e a Coopatan fazem parte do Pacto de Governança do Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade do Mosaico de áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia (PDCIS), fomentado pela Fundação Odebrecht com o apoio de parceiros públicos e privados.

A Casa Familiar Rural oferece educação técnica integrada ao ensino médio, estimulando a permanência dos jovens no campo e na agricultura familiar. A formação é de três anos e tem como base a Pedagogia da Alternância. Após a conclusão, os jovens podem associar-se à Coopatan para comercializar os produtos de suas plantações. A associação tem como foco o desenvolvimento da tecnologia de produção e sua organização com posterior beneficiamento, visando agregação de valor e maior renda aos cooperados.

Com o Campo Demonstrativo de Mandioca e Fruticultura (CDTMF) da Embrapa, uma área reservada de dez hectares na Fazenda Novo Horizonte (sede da CFR-PTN e Coopatan), jovens da instituição de ensino estudam sobre produtos comercializados pela cooperativa, possibilitando o aprimoramento das culturas cultivadas: mandioca, banana, aipim, abóbora e abacaxi. Segundo dados da Coopatan, após a parceria, a produtividade média de mandioca foi elevada de nove para 25 toneladas por hectare, superando a média nacional.

Apoio à iniciação científica

No Baixo Sul da Bahia, a Embrapa também desenvolve, desde 2012, o Programa de Bolsa de Iniciação Científica Júnior (PBIC). No ano passado, nove estudantes da CFR-PTN concluíram trabalhos focados na promoção do controle natural de pragas na mandioca. “Foi muito gratificante participar de um programa como este, que está contribuindo com o crescimento de todos”, conta Alessandra Santos, 17 anos.

Em 2014, outra instituição de ensino ligada ao PDCIS passou a ser beneficiada com o PBIC da Embrapa. Na Casa Familiar Agroflorestal (Cfaf), localizada em Nilo Peçanha (BA), três jovens estão desenvolvendo pesquisas com temas voltados a agroecologia, manejo florestal e quintais agroflorestais. Este último corresponde a áreas de cultivo de espécies agrícolas, florestais, medicinais e ornamentais próximas às propriedades rurais. Para Rômulo Carvalho, Pesquisador da Embrapa e orientador das pesquisas, “com o diálogo entre os saberes científico e o popular é possível construir novos conhecimentos com base nas realidades socioeconômicas e ambientais locais”.

Para saber mais sobre a Embrapa, clique aqui.

Newsletter
Quer apoiar nossa causa?
Cadastre nome e e-mail e aguarde nosso contato.
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital