18h40

Especial 50 anos - Modelo de transformação

Confira como uma das iniciativas apoiadas pela Fundação vem contribuindo para promover o desenvolvimento produtivo e sustentável da família no meio rural

Compartilhe
Tamanho do texto

A Fundação Odebrecht coordena o Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade – PDCIS. A atuação, hoje, está concentrada no Mosaico de áreas de Proteção Ambiental do Baixo Sul da Bahia, onde vivem, aproximadamente, 285 mil pessoas. O foco está na construção de uma tecnologia social inovadora que convoca diversos atores sociais dentro de um esquema integral de desenvolvimento. Um modelo que fomenta, simultaneamente, quatro capitais: Humano - educação contextualizada, Produtivo - geração de trabalho e renda, Social - construção de uma sociedade mais justa e igualitária, e Ambiental - conservação dos recursos naturais.

Neste contexto, quatro Casas Familiares - associações civis voltadas para o ensino ligado a realidade do campo - contribuem para a formação em agropecuária, agronegócio, florestas e aquicultura. Com a Pedagogia da Alternância, em que os alunos passam uma semana em período integral, com aulas na sala e no campo, e duas semanas nas propriedades de suas famílias, os jovens são orientados, segundo Graciela Mends Ribeiro Reis, Vice-Presidente de Organização & Governança da Fundação Odebrecht, “para assumir um papel diferenciado junto a suas famílias e comunidades, realizando a efetiva transformação sustentável a sua volta”. Também está inserido nesse modelo o Colégio Casa Jovem, instituição na qual os alunos recebem uma educação formal adaptada à realidade do meio rural.


Educação, geração de trabalho e renda, cidadania e respeito ao meio ambiente.
Neste modelo de Programa, o jovem assume papel diferenciado junto a família e a comunidade

No capital produtivo, por meio de cooperativas estratégicas, agricultores familiares como Jairo Damasceno, morador do município de Camamu, na Bahia, acessam tecnologias que possibilitam ampliar a produtividade, agregar valores econômicos e sociais aos seus cultivos, e recebem apoio na comercialização por meio de parcerias especializadas. Com isso, as famílias produtoras têm acesso à tecnologia e maior retorno de renda com o cultivo de mandioca, hortifrútis, pupunha e aquicultura. No cooperativismo desde 2009, Damasceno realizou sua primeira colheita de pupunha em 2012 e seu retorno de renda já é superior a R$ 26 mil no ano. “Esse cultivo melhorou muito minha vida, dando condição de permanecer na zona rural com dignidade”, disse. No Programa PDCIS, três cooperativas reúnem 840 associados.

Neste modelo de Programa, a vertente cidadã é fomentada por meio do Instituto Direito e Cidadania, que contribui com as comunidades locais por meio da inclusão produtiva e do acesso às políticas públicas. Entre algumas das ações estão a emissão de documentação civil básica gratuita e titulação de terras. No primeiro semestre de 2015, 3.129 atendimentos foram realizados e 341 pessoas capacitadas. Inserida no Capital Ambiental, a Organização de Conservação da Terra busca promover a conservação do solo, da flora, da fauna e revitalizar os recursos hídricos da região. Para isso, tem estimulado diversas iniciativas, como o reflorestamento e a conservação produtiva. Unidas, todas as iniciativas do Programa PDCIS promovem a educação, geração de trabalho e renda, com cidadania e respeito ao meio ambiente: um modelo inovador de desenvolvimento e crescimento replicável, reconhecido nacional e internacionalmente.

Presença que permanece marcando a história:


Membro do Conselho de Administração da Odebrecht S.A. e do Conselho de Curadores da Fundação Odebrecht, Luiz Villar entrou na Organização em 1968. Ao destacar a frase de um jovem em sua última visita ao Baixo Sul da Bahia, ao lado de Norberto Odebrecht, ressaltou que a Fundação é uma síntese do espirito de servir. “Escutei que ele estava feliz por ser formado para a vida", disse. Para Villar, o foco no desenvolvimento do jovem pelo trabalho faz da Fundação um exemplo aos negócios da Organização.

 

 

Conheça alguns dos prêmios recebidos pela Fundação Odebrecht:

2005 - Prêmio Top Social: O mais importante prêmio de responsabilidade social do Norte/Nordeste, foi concedido pelos trabalhos da Fundação Odebrecht em prol do desenvolvimento do Estado.

2006 - Prêmio Destaque:  A Odebrecht foi uma das 25 empresas escolhidas para integrar o Guia Exame de Boa Cidadania Corporativa 2006. Em uma das categorias, o destaque se deu ao Programa PDCIS da Fundação Odebrecht.

6º Prêmio Ethos de Jornalismo:  Documentário da Fundação Odebrecht foi o vencedor na categoria Mídia Eletrônica Televisão.

2008 - 2º Prêmio ODM Brasil: A instituição foi a única fundação empresarial a ter o reconhecimento por contemplar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio em uma mesma iniciativa.

2010 - Prêmio ao Serviço Público das Nações Unidas: O Programa PDCIS, única ação contemplada na América Latina, venceu na categoria “Melhorando a participação cidadã nos processos de decisões públicas através de mecanismos inovadores”.

2014 - Prêmio Nacional e Latino-americano de Excelência Educativa: Da equatoriana Fundação Fidal, premia personalidades e organizações mundiais que se destacam por sua contribuição social e educacional nos países onde estão inseridos.

 

Newsletter
Quer apoiar nossa causa?
Cadastre nome e e-mail e aguarde nosso contato.
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital