14h24

Formados para a vida e pelo trabalho

Cerca de 100 novos técnicos agrícolas concluem cursos nas Casas Familiares do Baixo Sul da Bahia. Confira a cobertura das formaturas.

Compartilhe
Tamanho do texto

Foram três anos de transformações nos mais variados aspectos: pessoal, educacional e profissional. Com uma educação contextualizada às suas realidades, 94 jovens acabam de concluir cursos técnicos integrados ao ensino médio no Baixo Sul da Bahia. A região conta agora com mais 32 Técnicos em Agronegócio pela Casa Familiar Rural de Igrapiúna (CFR-I), 31 Técnicos em Agropecuária pela Casa Familiar Rural de Presidente Tancredo Neves (CFR-PTN) e 31 Técnicos em Florestas pela Casa Familiar Agroflorestal (Cfaf), de Nilo Peçanha (BA). Pertencentes ao Programa de Escolas Associadas da Unesco, essas unidades de ensino fogem dos padrões tradicionais, por adotar a Pedagogia da Alternância (clique aqui e saiba mais), e estão mudando a vida de alunos, educadores e comunidades envolvidas.

No dia 8 de dezembro, foi realizada a formatura na CFR-PTN, que completou 15 anos de história em 2017. A monitora Helen Nunes destacou os pontos mais relevantes da nova turma formada. “Eles têm como diferencial o comprometimento com os desafios lançados, a criatividade e dedicação em tudo que fazem. São jovens com pleno domínio de gestão empresarial, técnicos qualificados para atuar em suas propriedades e a serviço da agricultura”, disse. Thaisa Rebeca, 18 anos, assim como muitos adolescentes que vivem na zona rural, desejava se deslocar para os centros urbanos em busca de qualidade de vida. Essa visão mudou a partir do ingresso na CFR-PTN. “Estou muito feliz em concluir o curso e ter a certeza de que ficarei aonde nasci, trazendo sempre novos conhecimentos”, afirmou. Cleiton Costa, 18 anos, já está de olho no futuro. “Desejo comprar novas áreas e abrir uma empresa de fertilizantes agrícolas na minha comunidade”, revelou.


Formandos da CFR-PTN

No dia 15 de dezembro, Cfaf e CFR-I festejaram a formação de suas turmas. “é gratificante poder acompanhar a evolução deles em todos os aspectos. Eles saem com outra forma de olhar o mundo a sua volta e como autores da própria história”, ressaltou Francisvaldo Roza, Diretor da CFR-I. Depoimento reforçado pelo agora ex-aluno Lucas Santana, 17 anos. “Hoje tenho uma visão empresarial sobre a zona rural. Pretendo dar continuidade aos meus projetos produtivos e também ampliá-los para obter uma fonte de renda sustentável”, disse. Neste ano, a CFR-I foi contemplada pelo Criança Esperança e receberá apoio em 2018.


Formandos da CFR-I


Vera Lúcia Silva, monitora da Cfaf há seis anos, não escondeu a emoção em poder ver mais um grupo de jovens prontos para novos desafios. “Os vejo saindo preparados para o futuro e para ficar na comunidade. Isso é muito gratificante. é possível notar no olhar de cada um deles a vontade de fazer algo mais. Sou muito feliz por fazer parte de uma engrenagem que educa e empodera tantos adolescentes”, avaliou. Lucas dos Santos, 17 anos, fez questão de agradecer os educadores, que acompanham os alunos desde o primeiro ano, não só na escola como nas propriedades das famílias. “A Casa Familiar possibilitou uma visão mais aberta e de como ter novas chances para o meu próprio negócio na agricultura. Agradeço a todos, monitores e colaboradores, que seguiram comigo durante essa trajetória” falou.


Formandos da Cfaf

CFR-PTN, CFR-I e Cfaf são apoiadas pela Fundação Odebrecht através do Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade (PDCIS). Os estudantes aprendem sobre administração rural, manejo de solos, irrigação, cooperativismo, ética, cidadania, além das técnicas adequadas para os mais diversos cultivos e as disciplinas da base nacional comum. Em 2017, as instituições chagaram na marca de 1.200 jovens formados e em formação.

 

Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital