09h00

Casas Familiares recebem novos alunos

Instituições de ensino apoiadas pela Fundação Odebrecht iniciam ano letivo com mais de 100 jovens matriculados no 1º ano

Compartilhe
Tamanho do texto

Expectativas, esperanças e sede de aprendizado. Esses foram os sentimentos dos 112 estudantes que iniciaram em 2019 suas trajetórias na Casa Familiar Agroflorestal (Cfaf) de Nilo Peçanha, Casa Familiar Rural de Igrapiúna (CFR-I) e Casa Familiar Rural de Presidente Tancredo Neves (CFR-PTN), instituições apoiadas pela Fundação Odebrecht por meio do Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade (PDCIS)

Turma do 1º ano da CFR-PTN ao lado de familiares e da equipe pedagógica da escola

Ao todo, 859 jovens da zona rural do Baixo Sul da Bahia participaram do processo seletivo, realizado no fim do segundo semestre de 2018. Para a turma de 1º ano de 2019, a Cfaf selecionou 36 estudantes. Na CFR-PTN e CFR-I, serão 38 adolescentes em cada Casa. Escolas de ensino médio integrado ao técnico em florestas, agropecuária e agronegócio, respectivamente, essas instituições oferecem aos alunos uma educação de qualidade voltada a sua realidade no campo.

“É sempre desafiador para nós a inclusão de novos educandos, cada um com suas particularidades, anseios e o desejo de transformar o próprio destino por meio de uma educação emancipadora. Contribuir diretamente para o desenvolvimento das potencialidades dos jovens oriundos de comunidades rurais é muito gratificante”, afirma Lázaro Rodrigues, assessor pedagógico da Cfaf.

Ariane Palma, aluna da Cfaf

Sonhos compartilhados

“Desde o ensino fundamental, eu já tinha certeza de que queria estudar na Casa Familiar. Era minha meta de vida. Quero aprender o manejo correto das culturas no campo e o melhor uso dos nossos insumos. Toda minha família nasceu e se criou no campo. Quero ser assim também”, planeja Antonio Brito, 16, morador do município baiano de Presidente Tancredo Neves e agora aluno da CFR-PTN.

Os sonhos de Brito são compartilhados por muitos dos seus colegas. Ariane Palma, 16, conta que conheceu a Cfaf, onde ingressou no 1º ano, por meio de um primo que havia sido aluno da instituição. “Tive o interesse de estudar na Casa a partir do momento em que entendi que existem meios de estar mais próximo da natureza, aprender sobre manejos na agricultura e como lidar com a terra. Pretendo obter conhecimentos sobre o trabalho no campo e ser uma multiplicadora em minha comunidade”, diz a estudante, que mora no município de Cairu (BA).

Ruthe Santos, 14, nova aluna da CFR-I, pretende seguir por um caminho semelhante. “Gostei muito do espaço e de como funciona a escola. Sempre tive vontade de trabalhar com meus pais no campo e ajudar a melhorar nossa renda. Espero colocar tudo o que aprender aqui em prática na nossa propriedade”, comenta a jovem, que reside com a família em Camamu (BA).

Os mais de cem adolescentes selecionados receberão uma educação para o desenvolvimento sustentável, aprendendo tanto a base comum do ensino médio quanto a técnica, ampliando também suas visões de negócio, noções de empreendedorismo no campo e cidadania. Desde 2006, já são mais de 1.200 jovens formados e em formação.

Ruthe Santos na área produtiva de cacau da CFR-I

Acesse o site e as redes sociais da Fundação Odebrecht (Facebook, Instagram, LinkedIn e YouTube) para acompanhar a trajetória desses e de outros jovens beneficiados pelo PDCIS.
 

Newsletter
Quer apoiar nossa causa?
Cadastre nome e e-mail e aguarde nosso contato.
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital