13h00

Casas Familiares ingressam no Programa Eco-Escolas

Instituições que integram o PDCIS iniciam trabalho com rede internacional desenvolvida pela Foundation for Environmental Education

Compartilhe
Tamanho do texto
Corpo docente e alunos da CFR-PTN com certificado de participação
da Casa Familiar no Programa Eco-Escolas

Com o objetivo de estimular o desenvolvimento de ações sustentáveis no ambiente educacional, o Programa Eco-Escolas é uma iniciativa criada pela Foundation for Environmental Education (FEE), parceira da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP). Centenas de centros de formação no Brasil e no mundo fazem parte desse programa que, há mais de 20 anos, forma uma rede de escolas que se posiciona em favor da consciência ambiental e contará agora com três novos membros baianos: as Casas Familiares Rurais de Presidente Tancredo Neves (CFR-PTN) e Igrapiúna (CFR-I), e a Casa Familiar Agroflorestal (Cfaf) de Nilo Peçanha.

As Casas Familiares fazem parte do Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade (PDCIS), criado em 2003 e coordenado pela Fundação Odebrecht no Baixo Sul da Bahia, e oferecem ensino médio com habilitações técnicas voltadas a Agropecuária, Agronegócio e Florestas. Com a associação ao Eco-Escolas, as três instituições reforçam as práticas já realizadas em prol da conservação de recursos naturais.

Trocas de experiências

Por meio de uma metodologia composta por sete passos, o Eco-Escolas incentiva que alunos e educadores desenvolvam ações de conscientização tanto nas escolas quanto nas comunidades. A primeira etapa (Formação do Conselho) já foi iniciada e representa que as Casas Familiares estão trabalhando em conjunto com o programa da FEE a fim de conquistar, depois da conclusão de todos os passos, o certificado “Bandeira Verde”, que reconhece seu trabalho de gestão ambiental.

“Este programa é formado por instituições que atuam em rede e em harmonia com o meio ambiente. A associação é uma forma de divulgar o que já fazemos na CFR-PTN. Junto ao Eco-Escolas, podemos ampliar o diálogo sobre temas que o mundo está discutindo. Agiremos de forma ainda mais alinhada com o que as demais escolas da rede têm como prioridade”, afirma Quionei Araújo, diretor da CFR-PTN.

Os estudantes das três escolas estabelecerão iniciativas
sustentáveis nas Casas Familiares

Após a formação do Conselho, serão realizados os passos “Diagnóstico ou Pesquisa Ambiental”, onde se analisará a situação das Casas em relação ao meio ambiente; “Elaboração do Plano de Ação”, que constitui o núcleo do programa e compreende as metas e prazos estabelecidos com base na fase anterior; “Monitorial e Avaliação”, no qual é observado o andamento do Plano; “Trabalho Curricular”, que visa incluir temas de educação ambiental nas matrizes curriculares; “Informação e Envolvimento da Escola e Comunidade”, que busca divulgar a evolução do desempenho ambiental nas comunidades do entorno; e “Criação do Eco-Código”, formado por uma relação com os objetivos alcançados e traduzidos em ações concretas que todos deverão seguir. 

“São os jovens que traçarão o plano de ação dentro da Casa Familiar. Depois, isso vai ser expandido para as comunidades. Fazer parte de mais uma rede internacional permitirá aprimorar e sistematizar o trabalho ambiental que fazemos”, diz Francisvaldo Roza, diretor da CFR-I.

A associação ao Eco-Escolas é feita de maneira integrada em todas as Casas Familiares que fazem parte do PDCIS e que estão conectadas com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), agenda global traçada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para ser cumprida até 2030 e que se configura em metas para serem alcançadas por toda a sociedade em prol da sustentabilidade. “O Eco-Escolas visa estabelecer condições de lidar com a preservação do meio ambiente no dia a dia e passar isso para as comunidades através dos alunos. Os jovens são protagonistas nisso. Acreditamos que, quando a escola se preocupa com a natureza, o entorno segue o exemplo”, explica Rita Cardoso, diretora da Cfaf.

De acordo com os Diretores das Casas Familiares, todas as etapas serão finalizadas até outubro deste ano. Após a conclusão, receberão um certificado e passarão a trabalhar com os estudantes, rotineiramente, os temas sugeridos pelo Eco-Escolas – como, por exemplo, agricultura orgânica, alterações climáticas e biodiversidade.

“O ingresso das Casas Familiares na rede de associados do Eco-Escolas está bastante alinhado com as premissas do nosso Programa PDCIS, que prioriza a conservação ambiental e o fortalecimento, nos beneficiários e instituições apoiadas, de comportamentos e práticas agrícolas que estejam em harmonia com o meio ambiente”, afirma Fábio Wanderley, Superintendente da Fundação Odebrecht. 

Você sabia? As Casas Familiares apoiadas pela Fundação Odebrecht também integram a Rede de Escolas Associadas da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).
 

Os jovens também adotarão condutas em prol do meio ambiente junto a suas famílias e comunidades
Receba nossas novidades:
Basta informar seu nome e melhor e-mail!
preload
2018 - 2019. Fundação Odebrecht. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital